14.06.2017 | 10h50


CAIXA DOIS DE CAMPANHA

Silval entrega esquema de Lúdio e Faiad para eleições de 2012 em Cuiabá

O ex-governador Silval Barbosa (PMDB) revelou, os agora ex-aliados políticos, que em 2012, receberam o montante da Marmeleiro Auto Posto para a campanha em que disputavam a Prefeitura de Cuiabá.


DA REDAÇÃO

Em confissão à Justiça, o ex-governador Silval Barbosa (PMDB), que deixou a prisão na noite desta terça-feira (13), afirmou que o médico Lúdio Cabral (PT) e o advogado Francisco Faiad (PMDB) teriam aceitado receber R$ 600 mil, da empresa Marmeleiro Auto Posto por meio de “Caixa 2”, para uso na campanha em disputa pela eleição à Prefeitura de Cuiabá em 2012.

A mesma imformação foi confirmada pelo ex-chefe de Gabinete, Sílvio Corrêa.

Conforme a decisão proferida, na tarde de terça-feira (13), pela juíza da 7ª Vara Criminal da Capital, Selma Rosane Arruda, que transformou a prisão preventiva de ambos em domiciliar. Silval e Sílvio declararam que os então candidatos a prefeito e vice-prefeito tinham pleno conhecimento que dinheiro era propina.

“Silval relata que, na campanha de 2012, quando Francisco Faiad foi candidato a vice-prefeito na chapa de Lúdio Cabral, recebeu auxílio financeiro e doação de combustível no montante de R$ 600 mil frutos de desvios de dinheiro público e diz que Francisco Faiad tinha pleno conhecimento da origem ilícita de tal doação, assim como o próprio Lúdio”, aponta trecho da decisão.

Sílvio Correa, que atuou juntamente com Silval na campanha de Lúdio e Faiad, sob alegação de que o alinhamento político entre os Governos Federal, Estadual e a Prefeitura era necessário para o desenvolvimento de Cuiabá, contou que após o grupo ser derrotado pela chapa encabeçada pelo ex-prefeito Mauro Mendes (PSB), o advogado Francisco Faiad continuou recebendo propina da Marmeleito por meio de contrato fraudulento com o Estado, já que era ele o secretário de Administração à época.

“Sílvio relatou que Francisco Faiad foi secretário da SAD [Secretaria de Administração] durante o ano 2013 e que recebeu o pagamento de propina oriunda da empresa Marmeleiro Auto Posto enquanto era titular da SAD, bem como que se utilizou de fraude na Secretaria de Infraestrutura para quitar restos de dívida da campanha em que foi candidato a vice-prefeito de Lúdio Cabral no ano de 2012”, aponta decisão da Justiça.

Outro lado 

Por meio de nota, Lúdio afirma que "Todas as despesas com combustível realizadas na campanha à Prefeitura de Cuiabá, em 2012, foram declaradas à Justiça Eleitoral. As dívidas remanescentes foram assumidas pelo Partido dos Trabalhadores com a anuência dos credores, tendo sido posteriormente negociadas e quitadas pelo próprio partido, nos termos da lei."

O também tentou contato com Francisco Faiad, mas não obteve êxito. 











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

marcelo melodias  14.06.17 16h36
Depois Faiad fala que a Juiza Selma está te perseguindo!!

Responder

0
0

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO