16.06.2020 | 11h41


PODERES / APÓS BOLSONARO SUGERIR INVASÃO

Secretário diz que quem invadir hospitais e filmar leitos será preso

Na última semana, o presidente Jair Bolsonaro pediu aos seus apoiadores que arranjem um jeito de entrar em hospitais e filmar se há leitos ocupados ou não.


DA REDAÇÃO

O secretário de Saúde, Gilberto Figueiredo, disse que quem entrar nos hospitais públicos ou de campanha que atendem pacientes infectados pelo coronavírus (covid-19) para fiscalizar se existem leitos disponíveis poderão ser presos.

Essa foi a resposta de Gilberto ao ser questionado durante uma live nesta terça-feira (16) sobre a declaração do presidente da República, Jair Bolsonaro, que sugeriu aos seus apoiadores que arranjem uma maneira de entrar nas unidades hospitalares e filmar para ajudar o Governo Federal na fiscalização de recursos públicos que estão sendo aplicados no combate à pandemia.

“Em relação à questão de estimular os cidadãos a invadir os hospitais, é altamente reprovável. Não concordo nem no momento que não tenha pandemia, quanto mais no momento de pandemia com uma infecção altamente contagiosa, estimulando pessoas a entrarem nos hospitais, isso não vai ocorrer nos hospitais de gestão do governo do Estado de Mato Grosso quem quiser fazer isso e forçar a fazer isso vai ser preso”, alertou o secretário.

Ele destaca que existe uma lei que proíbe a entrada de pessoas para fazer supervisão em hospitais e ressaltou que a sugestão não vai de encontro com o pensamento de praticamente todos os secretários de Saúde do país.

“Tem lei que proíbe e é para segurança das pessoas, inclusive, não há nem visita dos parentes a um paciente de Covid nos hospitais, quanto mais às pessoas irem para dentro dos hospitais para fazer supervisão e invasão dessa natureza”, comentou.

*atualizada às 14h00











(5) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

parasita  17.06.20 15h59
o secretario de saúde do estado, gilberto figueiredo, e incoerente. Está executando obras de reformas na sede da secretaria, com grande aglomeração, e os servidores também estão impedidos de tirarem férias ou licença. Somente agora resolveram respeitar o decreto do governador, com a secretaria funcionando das 7:30h às 13:30 e os servidores fazendo revezamento, com isso evitarão alguns contágios, mas estão querendo voltar atrás e fazer com que fique aberta, das 7:00h às 19:00h, sem revezamento e expondo mais ao risco os servidores. Pelo visto estão querendo os servidores morram.

Responder

2
0
Danielle Alves   17.06.20 12h30
Uai, não estou entendendo, ele mesmo estava na rádio falando mal do prefeito Emanoel Pinheiro, cobrando justificativa da verba para ajudar no combate do COVID e agora esta proibindo uma fiscalização. Acredito que quem deve teme.

Responder

1
2
Rodolfo  17.06.20 08h37
Esse governo se preocupa muito com mímimi ...se tá tudo certo nos hospitais como vcs dizem então não precisam temer "fiscalização" nenhuma nem da população e nem daqueles q tem a obrigação de fiscalizar q não fazem pq será?? ... Parem de mimimi vão trabalhar!! Tem gente morrendo pq não tem UTI!

Responder

0
0
DE OLHO  16.06.20 13h05
CUIDADO COM A FEDERAL DO BOLSONARO, POIS FOI SÓ O MORO PEDIR PRA SAIR QUE ELA NUNCA MOSTROU TANTOS SERVIÇOS.

Responder

9
4
JOHN DOE  17.06.20 13h29
O BOZO É UM IDIOTA

Responder

0
0
DE OLHO  16.06.20 13h04
CUIDADO COM A FEDERAL DO BOLSONARO, POIS FOI SÓ O MORO PEDIR PRA SAIR QUE ELA NUNCA MOSTROU TANTOS SERVIÇOS.

Responder

4
4
JOHN DOE  17.06.20 13h30
QUEM DEFENDE ELE TAMBÉM É

Responder

0
0
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO