alexametrics
01.12.2019 | 10h30


PODERES / REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Russi pede bom senso a servidores: 'Podem ter que perder um pouco'

O governo prepara um projeto de reforma da Previdência semelhante ao aprovado no Congresso Nacional. Deputado defende a necessidade da medida.


DA REDAÇÃO

O deputado estadual Max Russi (PSB) espera bom senso dos servidores públicos durante as discussões, com o governo, na elaboração do projeto da reforma da Previdência estadual. Ele destacou que as medidas são necessárias para evitar rombo que inviabilize o pagamento dos aposentados.

"Nada mais sensato e correto do que os próprios servidores pensarem naquilo que será sua Previdência, naquilo que será sua aposentadoria, então é importante essa participação dos servidores, mas também é importante o bom senso, muitas vezes, tem que perder um pouco dar um passo para trás, para avançar dois para frente", disse à imprensa durante apresentação da retoma do Hospital Cemtral e Hospital Júlio Muller.

No início dessa semana, o governador Mauro Mendes (DEM) reuniu com representantes sindicais para discutir o texto que deve ser enviado a Assembleia Legislativa na primeira quinzena de dezembro. Ele deu o prazo de 15 dias para que apresentem sugestões sobre mudanças na minuta.

"Parece que a reunião foi bastante produtiva. Os servidores são reticentes em algumas pautas da reforma da Previdência, mas também entende que é uma pauta que interessa a todos. Não adianta a gente ter muito benefício e não ter condição de receber o nosso aposento", comentou.

Déficit estadual

O governador tem destacado que por mês o Estado tem déficit de R$ 115 milhões somente com Previdência. Esse dinheiro, segundo Mauro, é retirado dos impostos que os mato-grossenses pagam que deveria ser aplicado em investimentos.

Ele ainda alertou que se a reforma da Previdência não for aplicada no Estado nos próximos anos, há a possibilidade de um rombo nos cofres públicos de R$ 31 bilhões.

Atualmente, a minuta de uma reforma da Previdência, parecida com a proposta que foi promulgada pelo Congresso Nacional, está sendo analisada pelo Conselho da Previdência formada pelos chefes e representantes dos poderes e dos servidores públicos estaduais.

O principal ponto da reforma estadual é o aumento da alíquota de contribuição previdenciária dos servidores de 11% para 14%.











(3) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Marco Aurélio  01.12.19 20h19
PIADA. Esses deputados do MT e essa ALMT dão nojo. Bando de corruptos que não são investigados. Casa cheia de mordomias. Agora NOVAMENTE vem com essa conversa fiada. Temo que acordar e chacoalhar esse país. CHEGA DE SACANAGEM

Responder

6
0
Márcio Ferreira   01.12.19 16h46
Perder um pouco senhor deputado preste atenção já faz 4anos que estamos perdendo e até agora não vi políticos perdendo nada o senhor está de brincadeira

Responder

13
0
Dimas   02.12.19 07h08
Perder? Por acaso, os políticos irão perder também? Verbas indenizatórias, outras verbas, aposentadorias precoces... isso é uma p... vocês estão totalmente sem um mínimo de vergonha na cara, são um bando de inúteis que custam uma fortuna ao nosso bolso e ainda querem aumentar mais a conta para nós? Não dá! O limite estourou faz tempo! Na última eleição em Cuiabá o Sr Wilson Santos provou a força que nós servidores temos, se quiser ir em frente com essa proposta ridícula, vão provar muito mais a nossa união! Esse estado vai paralisar totalmente, pois não somos palhaços!!!!

Responder

6
0
alexandre  01.12.19 14h36
O governo quebrou o fundo 3 vezes e nos vamos ter que perder ? porque pagar os aposentados do Poderes ?

Responder

12
0
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime