23.02.2017 | 20h01


ACUSADO DE RECEBER PROPINA

OAB vai investigar Faiad; advogado quer 'aposentar' juíza Selma

Ordem promoveu ato de apoio a Faiad, mas confirmou que irá instaurar Processo Administrativo Disciplinar para investigar as fraudes das quais ele é acusado


DA REDAÇÃO

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) vai instaurar um Processo Administrativo Disciplinar para investigar as fraudes das quais o advogado Francisco Faiad é acusado de ter cometido enquanto era secertário de Administração do Governo de Silval Barbosa (PMDB), conforme apontam as investigações da Operação Sodoma.

Apesar da medida, a OAB tem demonstrado apoio total ao advogado que foi preso na quinta fase da operação, por determinação da juíza Selma Arruda, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá.

Na tarde desta quinta-feira a Ordem fez um ato de agravo contra a prisão de Faiad, que pagou fiança de R$ 192 mil para deixar a prisão, após sete dias detido. 

Na ocasião, os presidentes da OAB regional, Leonardo Campos e o presidente do Conselho Federal da OAB (CFOAB) Claudio Lamachia garantiram que o advogado Francisco Faiad poderá realizar uma representação imediata contra a juíza Selma Arruda, o que segundo eles pode culminar na aposentadoria compulsória da magistrada.

A defesa de Faiad admitiu que está estudando o caso.

Os representantes da OAB reclamam que a prisão de Faiad ocorreu quando estava para ser julgada a anulação  do processo que poderia levar a inviabilizar todos os atos já aplicados pela juíza Selma, incluído a liberação da prisão preventiva do ex-governador  Silval Barbosa.

O caso

Faiad é um dos acusados de envolvimento no caso de recebimento de propina para pagamento de dívidas de campanhas dos pleitos de 2012 e 2014. Segundo consta na denúncia, encaminhada pelo Ministério Público Estadual (MPE), até uma espécie de “mensalinho” ele recebia para manutenção de suas despesas, enquanto atuava como secretário de Administração na gestão de Silval.

Operação

A 5ª fase da Operação Sodoma investiga fraudes à licitação, desvio de dinheiro público e pagamento de propinas, realizados pelos representantes da empresa Marmeleiro Auto Posto LTDA e Saga Comércio Serviço Tecnológico e Informática  LTDA, em benefício da organização criminosa comandada pelo ex-governador, Silval Barbosa.

Os envolvidos são investigados em fraudes à licitação, corrupção, peculato e organização criminosa em contratos celebrados entre as empresas Marmeleiro Auto Posto LTDA e Saga Comércio Serviço Tecnológico e Informática  LTDA, nos anos de 2011 a 2014, com o Governo do Estado de Mato Grosso.

Segundo a Polícia Civil apurou, as empresas foram utilizadas pela organização criminosa, investigada na operação Sodoma, para desvios de recursos públicos e recebimento de vantagens indevidas, utilizando-se de duas importantes secretarias, a antiga Secretaria de Administração (Sad) e a Secretaria de Transporte e Pavimentação Urbana  (Septu), antiga Secretaria de Infraestrutura (Sinfra).

As duas empresas, juntas, receberam aproximadamente R$ 300 milhões, entre os anos 2011 a 2014, do Estado de Mato Grosso, em licitações fraudadas. Com o dinheiro desviado efetuaram pagamento de propinas em benefício da organização criminosa no montante estimado em mais de R$ 7 milhões.

Leia mais:

Faiad, Cordeiro e Silvio são presos em 5ª fase nesta terça

Desembargador manda soltar advogado Francisco Faiad, preso na Sodoma 5

Faiad usou consumo fictício de combustível para quitar dívida de campanha

Faiad divide cela com ex-vereador João Emanuel, no 'Carumbé'











(6) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

ELIFAS Ribeiro  24.02.17 09h36
Agora temos dois semi-deus no Brasil, acima da lei, mais igual que qualquer outro ser-humano um é: LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA,e o outro é: FRANCISCO ANIZ FAIAD

Responder

8
1
Katia Advogada  23.02.17 20h56
Triste, muito triste! A OAB/MT monta um circo e faz a defesa de um membro graduado, mas não tem o mesmo empenho quando um colega sem expressão tem suas prorrogativas desrespeitadas. Por acaso estaria o Ministério Público faltando com a verdade quando faz graves imputações ao doutor Faiad? A preventiva de Faiad não fora decretada ex officio e nem poderia, ao contrário, a juíza atendeu requerimento do órgão ministerial. Teria ela sido induzida a erro pelo parquet? Por que não atacam o Gaeco também? Penso que a Ordem - minha Ordem - se atolou na lama para proteger um membro. Vai pagar um preço muito alto. A sociedade que defende o fim da corrupção vai repudiar o desagravo da OAB.

Responder

10
2
Juliana   23.02.17 20h08
Vai investigar o advogado que recebeu solidariedade? Faça o favor, OAB!!!

Responder

9
2
cp  23.02.17 18h39
poriso o brasil ta na pindaiba quando aparece alguen q ten corage de por na cadeia aqules defama o e destroi o estado tentan tirar quem defende corrupito corripito e

Responder

7
1
Ana Paula  23.02.17 18h36
Que papelão OAB ao invés de parabenizar a Juiza Selma pela coragem de enfrentar a corrupção no nosso estado vocês querem parar quem trabalha, pelo menos a população já sabe a quem esta entidade representa.

Responder

10
2

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER