09.07.2017 | 07h50


PODERES / MINISTÉRIO DA AGRICULTURA

Novacki afirma que crise política tem gerado prejuízos ao agronegócio

Um dos exemplos é um grupo indiano que deixou de investir US$ 100 milhões no Brasil e preferiu ir para o Vietnã. As dificuldades têm proporção ainda maior porque o país não se recuperou dos reflexos da Operação Carne Fraca.


DA REDAÇÃO

Em entrevista ao , o secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Eumar Novacki afirmou que a turbulência política tem gerado prejuízo financeiro ao país, pois tem perdido credibilidade de investidores. Em um único caso o Brasil perdeu recentemente US$ 100 milhões (cerca de R$ 328 milhões), que impacta diretamente o agronegócio. A situação, combinada com a crise provocada pela Operação Carne Fraca – deflagrada em março pela Polícia Federal –  também reflete no desenvolvimeto do setor em Mato Grosso.

"Nós aguardávamos [os investimentos] porque tínhamos grandes chances de ser contemplados com isso, mas tivemos a negativa por parte da Índia. A justificativa dos empresários é de que o ambiente político não era propício e, por isso, iria instalar a empresa no Vietnã. E com isso o Brasil perdeu o investimento de US$ 100 milhões”, afirmou Novacki.

Um dos exemplos da perda financeira, por consequência política, relatado por Novacki é um grupo indiano que tinha 'prometido' a instalação de uma indústria no Brasil, no entanto, ao saber da crise decidiu mudar o investimento para o Vietnã - país com um PIB (Produto Interno Bruto) de apenas US$ 509 bilhões (R$ 1,6 bilhão), valor inferior aos nossos que somam R$ 1,7 trilhão.

“O ministro Blairo Maggi [PP] esteve na Índia e conversou com o Governo do país e empresários. Houve um compromisso de se buscar a ampliação da comercialização e o interesse de vir montar uma grande indústria de café no Brasil. Nós aguardávamos [os investimentos] porque tínhamos grandes chances de ser contemplados com isso, mas tivemos a negativa por parte da Índia. A justificativa dos empresários é de que o ambiente político não era propício e, por isso, iria instalar a empresa no Vietnã. E com isso o Brasil perdeu o investimento de US$ 100 milhões”, afirmou Novacki.

Assim como a agricultura, a pecuária de Mato Grosso sente diretamente o impacto da crise com essas perdas. Isso, por causa da redução nas exportações de carne vermelha e a falta de novos investimentos que possam fomentar as vendas internas e externas do Estado, dono do maior rebanho bovino do mundo.

“Há impacto em Mato Grosso, que é um grande produtor de gado do Brasil. Esse impacto já está sendo sentindo pelos os produtores porque todos esperavam um aumento de vendas e, claro, lucratividade e, na verdade, teve uma desaceleração”, declarou.

“Há impacto em Mato Grosso, que é um grande produtor de gado do Brasil. Esse impacto já está sendo sentindo pelos os produtores porque todos esperavam um aumento de vendas e, claro, lucratividade e, na verdade, teve uma desaceleração”, declarou.

O secretário Executivo do Mapa destaca que defende a necessidade a Operação Carne Fraca, mas, ao mesmo tempo, afirma que a forma que foi divulgada a ação fechou muitas portas para carne bovina brasileira em todo o mundo. A boa notícia é que a perda financeira foi minimizada pelo aumento nos pedidos de carne suína e aves.

"Os mercados fecharam as portas e o que nós tínhamos trabalhado para conseguir a ampliação seguraram e, agora, estamos tentando recuperar o terreno perdido".

“É difícil mensurar o impacto porque a tendência é de que o incremento fosse significativo o que não aconteceu, grande parte por causa da operação. Os mercados fecharam as portas e o que nós tínhamos trabalhado para conseguir a ampliação seguraram e, agora, estamos tentando recuperar o terreno perdido, ou seja, conquistar pelo menos os mercados que nós já tínhamos”, argumentou.

Como exemplo de dificuldade para retomar o mercado, Novacki cita o aumento de normas em vários países.

“Alguns mercados aumentaram as normas de controles, como aconteceu, por exemplo, com os Estados Unidos agora. E isso tem um efeito significativo na ponta, mas temos que correr atrás para suprir as demandas”, observou o secretário.

Porém, o Mapa afirma que mesmo com a queda na exportação e algumas negativas de empresários, o momento deve ser superado em breve. Para isso, segundo o secretário, o Mapa tem ajudado a solucionar problemas diversos que estimulam a melhora da economia do setor.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Mtmais transparência   09.07.17 20h50
Fico muito feliz pelo esforço, mas acredito que já está hora de voltar à atividade fim de ser policial militar. Acredito que todo conhecimento e sua bagagem de experiência seria maior empregado na própria instituição. Acredito que seria ótimo a convocação de todos servidores que estão cedidos e com desvio de função. Todos juntos pela convocação

Responder

1
0

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO