03.03.2020 | 14h51


PODERES / 10 X DE R$ 233 MIL

Ministro quer explicações de Alan Malouf sobre calote na Justiça

Dono de buffet é um dos cabeças de esquema desbaratado na Operação Rêmora. Ele pagou apenas uma das 10 parcelas acordadas com o STF na delação e pode perder benefício


DA REDAÇÃO

O ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que a 7ª Vara Criminal de Cuiabá envie informações sobre o pagamento de 10 parcelas de R$ 233 mil acordado entre o delator Alan Malouf e o STF em colaboração premiada. Decisão do ministro é de segunda-feira (2).

Alan, que é um dos donos do Buffet Leila Malouf, teve sinalização para rescisão de sua colaboração premiada com a Justiça feita pela Procuradoria Geral de Justiça (PGR). A decisão do ministro atende aos requisitos feitos pela PGR.

“Cabe acolher o preconizado pela Procuradoria-Geral da República. Oficiem ao Juízo da Sétima Vara Criminal da Comarca de Cuiabá/MT, solicitando as informações pretendidas”, decidiu o ministro. 

Leia mais: Malouf não devolve dinheiro desviado e pode perder acordo de delação premiada

O empresário havia combinado com a Justiça devolver o dinheiro desviado da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) em 10 parcelas de R$ 233.308,42, porém, conforme a PRG, Alan pagou apenas uma parcela no mês de maio. O total acordado é de R$ 2,3 milhões

“Destacou não haver notícia de quitação da primeira e da terceira cota, já vencidas. Requer a intimação de Alan Ayoud Malouf, para comprovar o adimplemento do que ajustado, sob pena de execução de bens garantidores e, em caso de insuficiência, imediata rescisão do acordo”, manifestou a PGR.

Rêmora

A operação levou para a cadeia agentes públicos e empresários envolvidos em esquema de propina em licitações da Secretaria de Educação. (Leia mais aqui).











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

joana  03.03.20 16h34
se fosse um pobre ja tava enjaulado

Responder

0
0
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO