15.01.2019 | 14h40


CALAMIDADE FINANCEIRA

Mauro vai a Brasília tratar decreto com Bolsonaro e espera ajuda federal

"Estamos à beira de um colapso, com dívidas da ordem de R$ 2,1 bilhões e salários atrasados", disse Mauro em reunião com jornalistas no fim da tarde desta segunda (14), no Paiaguás


DA REDAÇÃO

O governador Mauro Mendes (DEM) vai fazer sua primeira viagem a Brasília como chefe do Executivo estadual, esta semana, para tratar dos problemas financeiros do Estado, entre eles o não pagamento do Auxílio às Exportações (FEX). 

Mauro será recebido pelo ministro da Secretaria de Governo Santos Cruz, designado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) para recebê-lo. O democrata também terá audiência com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Entre outros assuntos, o governador vai mostrar a situação das contas públicas que fecharam com déficit de R$ 2,1 bilhões no ano passado.

“Vou levar essa dura realidade do Estado porque não podemos esperar o pior [acontecer] para tomar providência”, disse.

O governador já debateu a possibilidade de decretar estado de calamidade para receber, por exemplo, os recursos do FEX no montante de aproximadamente R$ 400 milhões, que não foram pagos no ano anterior, o que aumentou um rombo ainda maior no caixa do Governo.

Em reunião com jornalistas nesta segunda (14), Mauro argumentou que o dinheiro é um direito do Estado e que vai buscar os valores.

“Vou levar essa dura realidade do Estado porque não podemos esperar o pior [acontecer] para tomar providência”, disse.

Destacou que ao ser decretada a calamidade nas finanças públicas, o Estado poderá inclusive receber o FEX e outros recursos da União. Antes das Olimpíadas de 2016, o estado do Rio de Janeiro também decretou estado de calamidade financeira e recebeu  R$ 2 bilhões do Palácio do Planalto.

“O FEX é um direito nosso e não existe neste momento previsão orçamentária e se estivermos com esse decreto em vigor eu acredito que o próprio Governo Federal pode se sensibilizar e fazer a antecipação desse pagamento do FEX, já que é um direito e já deveríamos ter recebido”, comentou ao apresentador Roberto França.

Mauro acredita que MT pode levar até dois anos para sair do caos financeiro, isso se todas as medidas a serem adotadas derem certo e o cenário macroeconômico ajudar. O governador vai a Brasília nesta terça em busca de dinheiro da União. 

"Estamos à beira de um colapso, com dívidas da ordem de R$ 2,1 bilhões e salários atrasados", disse Mauro em reunião com jornalistas no fim da tarde desta segunda (14), no Paiaguás. 











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

luzdavida  16.01.19 15h31
QUERO VER O REPORTERMT QQUE SOU FAN PUBRICAR: GOVERNADOR APROVEITA E VEJA POR QUE ESTÃO PROTEGENDO O SERVIDOR DO PROCESSO 131679/2018 DESDE 2015!PROVEITA E CANCELA LICENÇA PREMIO DE SERVIDORES QUE ESTÃO ILEGAIS NOS CARGOS TIPO ASSIM: ESTÃO EM ACUMULOS ILEGAIS E COMO CONSEGUEM DIREITOS COMO LICENÇA PREMIO ESTANDO ILEGAIS? CONSEGUIRIA BOA ECONOMIA AÍ!

Responder

0
0
Marcos   15.01.19 18h02
" Aproveita e pede uma investigação sobre as isenções fiscais no estado, quem sabe a crise financeira acaba ",...😟🤔😃

Responder

1
0
Matéria(s) relacionada(s):

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER