01.10.2019 | 09h40


DINHEIRO DA SAÚDE

Mauro sobre cobrança de Emanuel: Não devemos um mês sequer a Cuiabá

Governador afirma que o prefeito deveria ter feito a mesma exigência para receber os recursos atrasados durante a gestão do ex-governador Pedro Taques, que fez a dívida.


DA REDAÇÃO

O governador Mauro Mendes (DEM) considerou estranha a cobrança que está sendo feita pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), de R$ 56 milhões, referente a repasses atrasados do Estado para a Saúde de Cuiabá.

Ele disse que o prefeito deveria ter mostrado a mesma disposição, que tem demostrado agora, e ter feito a mesma exigência ao ex-governador Pedro Taques (PSDB), já que, segundo o democrata, as dívidas são oriundas da gestão tucana.

Mauro ressaltou que o déficit do Governo ao município ocorre desde a gestão Taques e ressaltou que, desde que assumiu o comando do Palácio Paiaguás, não deve nenhum mês a Saúde do município.

“Acho que essa disposição que ele está mostrando devia ter mostrado para aquele que fez a dívida. É estranho ele cobrar de nós que estamos pagando literalmente em dia, município de Cuiabá, não devemos nenhum único mês sequer ao município de Cuiabá e ele nunca veio a público cobrar aqueles que ficaram devendo”, disse Mauro.

“Acho que essa disposição que ele está mostrando devia ter mostrado para aquele que fez a dívida. É estranho ele cobrar de nós que estamos pagando literalmente em dia, município de Cuiabá, não devemos nenhum único mês sequer ao município de Cuiabá e ele nunca veio a público cobrar aqueles que ficaram devendo”, disse durante conversa com a imprensa no lançamento da campanha Outubro Rosa no Hospital Estadual Santa Casa, na segunda-feira (30).

“Então, isso mostra o mínimo de dissidia dele uma irresponsabilidade. Ele deveria ter cobrado insistentemente aqueles que atrasaram ao município de Cuiabá, inclusive uma parte dessa dívida é da minha época quando eu era prefeito da cidade”, acrescentou.

O governador já disse que o Estado reconhece apenas R$ 39 milhões do débito cobrado pelo prefeito de R$ 56 milhões. Ele comentou que a dívida será pago, mas, por enquanto, não há previsão.

“A dívida sempre existiu. Peguei a prefeitura, o governo do Estado de Mato Grosso tinha 11 meses de atraso na Atenção Básica. Peguei o município com R$ 3,5 bilhões de restos a pagar isso já foi amplamente divulgado então óbvio que isso será pago na medida do caixa e das prioridades do governo do Estado de Mato Grosso”, disse.

A dívida está sendo o principal estopim entre as trocas de farpas entre Mauro e Emanuel nos últimos dias. Emanuel falou que vai cobrar do Estado cada centavo e que inicialmente quer que o governo pague os R$ 39 milhões, já reconhecidos, e depois negocie os R$ 16 milhões.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO