15.01.2020 | 14h45


PRESSÃO DE EMPRESÁRIOS

Mauro nega ter incentivado população a comprar fora de MT

Pronunciamento ocorre após entidades empresariais afirmarem que a fala do governador sobre aumento de preços poderia desestimular o consumo e gerar desemprego no estado.



O Governo do Estado emitiu nota, no início da tarde desta quarta-feira (15), para esclarecer que o governador Mauro Mendes (DEM) não incentivou ou defendeu qualquer campanha para que a população passe a adquirir produtos no comércio eletrônico de outros estados, em decorrência de supostos aumentos de preços no mercado interno.

No comunicado, o governador destaca que incentiva o desenvolvimento econômico de Mato Grosso e já adotou medidas que demonstram isso, como a exemplo da correção de distorção na concessão dos incentivos fiscais para o setor do comércio que trouxe maior competitividade e segurança jurídica. Existiam empresas do mesmo

Governo conclui a nota afirmando que  preza e defende a livre iniciativa, um mercado competitivo, aberto e que possa ser atraente para os consumidores, lucrativo e que gere emprego e renda.

segmento e com benefícios diferentes.

Alguns dos incentivos fiscais concedidos a determinados setores, segundo o Executivo, foram alvos de delação premiada do ex-governador Silval Barbosa no período de 2011 a 2014. Por isso, o Governo decidiu por não manter nenhum benefício fiscal que foi concedido em troca do recebimento de vantagens indevidas.

Com relação ao suposto aumento de preços por parte de algumas empresas, o Estado esclarece que o mercado se autorregula por iniciativa dos próprios consumidores, que é o detentor do poder de escolha, pois, o mercado e sua vontade são soberanos. Contudo, os abusos podem ser denunciados aos órgãos competentes.

O Governo conclui a nota afirmando que preza e defende a livre iniciativa, um mercado competitivo, aberto e que possa ser atraente para os consumidores, lucrativo e que gere emprego e renda.

A polêmica

A regulamentação da Lei Complementar n° 631/19, que reduziu a concessão de incentivos fiscais no Estado, tem criado uma queda de braço entre o governador Mauro Mendes e o setor comercial.

A Federação das Associações Comerciais e Empresariais de Mato Grosso (Facmat) emitiu uma nota pedindo respeito do chefe do Executivo ao setor após o comentário de que a população poderia comprar fora do Estado, através da internet, devido aumento nos preços.

“O mercado é competitivo as pessoas compram pela Internet, elas compram fora do estado. Hoje o consumidor é muito sabido então quem quiser fazer esse joguinho de aumento de preço pode dar o burro n'água porque o consumidor está muito esperto e é muito fácil você pesquisar preço aqui em Mato Grosso e em todo o Brasil”, disse o governador durante a inauguração da Avenida Parque do Barbado, na segunda (13).

A entidade destacou que a fala do governador poderia desestimular o consumo no Estado e dar prejuízos ao setor e falta de emprego.

“Os empresários geram emprego e renda e merecem respeito, sendo inadmissível um governo desestimular o consumo em Mato Grosso, principalmente quando o comerciante já sofre com a concorrência de estados vizinhos e com o comércio eletrônico. Vale ressaltar que as Associações Comerciais e Empresariais do estado têm campanhas de lutas para incentivar o fortalecimento do comércio local, a fim de fomentar cada vez mais empregos e renda nos municípios, evitando o fechamento de empresas. É um retrocesso para todo o setor produtivo estadual. Os empregos de Mato Grosso não podem ir embora”, escreveu a Facmat.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO