21.08.2019 | 05h40


FUNDO AMAZÔNIA

Para Mauro bloqueio de recursos pode causar efeitos catastróficos para Mato Grosso

O resultado desse efeito, segundo o governador, causaria um embrago ambiental aos produtos do agronegócio brasileiro o que seria catastrófico e desastroso para economia do país e do Estado


DA REDAÇÃO

Após decisão da Alemanha e Noruega de suspenderem recursos para o Fundo Amazônia, o governador Mauro Mendes (DEM) acredita que a medida, além de trazer perda de receita, impactará nas relações comerciais do Brasil com outros países.

O resultado desse efeito, segundo o governador, causaria um embrago ambiental aos produtos do agronegócio brasileiro o que seria catastrófico e desastroso para economia do país e do Estado.

“Temos aí uma preocupação gigante que vai muito além da perda de receita. Somos uma economia que tem muita dificuldade de fazer investimento, então todo dinheiro é bem-vindo”, disse nesta terça-feira (20) após inauguração de nova linha de produção de uma marca de refrigerante, em Várzea Grande.

Mauro destacou que nos acordos internacionais foi pactuado de que haveria contribuição aos países que não desmatasse e reduzisse emissão de carbono, o que ele assegura que o estado tem contribuindo para essa redução.

“Queremos que o mundo faça esse pagamento em valores, inclusive mais expressivos. Porém, o que me preocupa gigantemente, nesse momento, é a condução dessa relação, nesse momento que foi sinalizado um crescimento do desmatamento na Amazônia e que isso atrapalhe as relações comerciais que o Brasil tem com muitos países”, frisou.

No mês passado, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), ligado ao Ministério da Ciência, divulgou que o desmatamento na Amazônia Legal atingiu mais de 920 km² em julho, o que representa um aumento de 88% em relação ao mesmo período do ano passado. A divulgação do dado foi criticada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) de que a exposição dos números poderia prejudicar o Brasil.

Diálogo

O governador ainda destacou que os governadores que compõem o Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal irão se reunir com os embaixadores dos países no Brasil para dialogar além de mostrar as ações que tem adotado para preservação ambiental.

O democrata disse que deve mostrar o sistema que consegue detectar, em tempo real, o desmatamento acima de meio hectare. Detalha que, no país, apenas Mato Grosso conta com a tecnologia que, segundo ele, já está resultando uma série de operações.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Ana  21.08.19 08h57
Acorda, Mauro, a China não vai deixar de comprar soja do Mato Grosso; quem critica essa expansão é quem só dá esmola pra gente - compara a miséria do "fundinho da Amazônia europeu" com a receita do agronegócio. Quita logo essa dívida com o bank of america e diminua nossa dependência em relação ao dólar. Precisamos de conversores de CO2 pra O2, somos capazes de produzir essa tecnologia.

Responder

0
0
Matéria(s) relacionada(s):

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER