23.07.2019 | 15h08


ACORRENTADOS NA SANTA CASA

Mauro considera protesto de grevistas como 'natural' e descarta aumento

A declaração é uma resposta aos manifestantes que se acorrentaram às grandes de contenção durante reinauguração da Santa Casa nesta terça-feira.


DA REDAÇÃO

O governador Mauro Mendes (DEM) considerou como “natural” o protesto de um grupo de grevistas da Educação do Estado que se acorrentou às grades de contenção fixadas no entorno do Hospital Estadual Santa Casa, durante a reinauguração da unidade, na manhã desta terça-feira (23), em Cuiabá.

No local, Mauro recebia o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, além de dezenas de autoridades políticas e do Judiciário.

Ao ser questionado pelos jornalistas, o governador declarou: “É natural, normal. Já falei isso várias vezes”.

Minutos depois Mauro Mendes lembrou que já dialogou com os profissionais por diversas vezes e pontuou: “Querem que eu repita? Então vou repetir que estamos estourados na LRF [Lei de Responsabilidade Fiscal]”, ao lembrar que o Estado gasta quase 60% com pessoal, ou seja, bem acima do limite permitido de 49%.

“Isso mudou? Não, não mudou”, concluiu.

Enquanto Mauro Mendes mostrava como ficou a reforma da Santa Casa ao ministro e outras autoridades, do lado de fora os servidores tumultuavam a entrada, além de muito barulho.

Os educadores, que estão em greve há dois meses e tiveram o ponto cortado, gritavam: "Devolve o meu salário!". Eles cobram do Governo a concessão do reajuste de 7,69%.

O Governo alega que não tem como conceder o reajuste por estar impedido por causa da crise financeira que paga, inclusive, salário de forma parcelada.

No entanto, o barulho dos sindicalistas deve continuar na parte da tarde, na Assembleia Legislativa, para onde seguem tentando pressionar os deputados para que eles convençam o Governo a conceder o reajuste.

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO