17.09.2019 | 12h08


LAVA TOGA

Major Olímpio defende Selma e pede 'expulsão' de filho de Bolsonaro do PSL

Líder explanou sobre conflito entre juíza Selma e senador Flávio Bolsonaro, após a magistrada assinar a "CPI da Lava Toga".


DA REDAÇÃO

O líder do Partido Social Liberal (PSL) no Senado, Major Olímpio (SP) saiu em defesa da senadora Selma Arruda (PSL) e atribuiu sua saída da sigla ao senador Flávio Bolsonaro que, nas últimas semanas, intensificou sua atuação contra a instauração da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) batizada de “Lava Toga”.

“Nós que representamos a bandeira da anticorrupção do presidente. Tentei convencê-la (senadora juíza Selma) a ficar e resistir conosco. Quem tem que cair fora do PSL é o Flavio, e não ela. Gostaria que ele saísse hoje mesmo”, disse o major em entrevista na segunda-feira (16) ao Jornal O Estado de São Paulo (Estadão).  

Selma anunciou que deixará o partido e migrará para o Podemos na quarta-feira (18). O horário do ato de filiação ainda deve ser confirmado pela sua assessoria.

Segundo ainda a pesselista, a falta de solidariedade do partido em relação ao processo de cassação de mandato e pressões de membros para retirar assinatura do pedido de abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) Lava Toga foram os fatos que a deixaram incomodada.

A CPI que antes era a bandeira do PSL tem por objetivo investigar ministros dos Poderes e barrar suas iniciativas. O senador Flávio Bolsonaro estaria tentando impedir três assinaturas de membros do partido pelo fato de estar sendo investigado na Justiça de São Paulo. 

Com isso, ele conseguiria levar a ação ao Supremo Tribunal Federal (STF) para reverter a situação.  Entenda melhor clicando aqui 

Veja publicação na íntegra

A divergência no PSL em torno da CPI da Lava Toga fez o líder do partido, Major Olímpio (SP), pedir a saída de Flávio Bolsonaro. 

“Nós que representamos a bandeira anticorrupção do Presidente. Eu tentei convencê-la (senadora Juíza Selma, de saída para o Podemos) a ficar e resistir conosco. Quem tem que cair fora do PSL é o Flávio, não ela. Gostaria que ele saísse hoje mesmo”, disse Major Olímpio. 

Apesar disso, o senador não deve entrar no Conselho de Ética do PSL contra Flávio, por avaliar que ele não tenha ferido nenhuma regra. “Só trazer muita vergonha a nós”. 

Há algumas semanas, o próprio Major Olímpio estava pensando em deixar o partido, depois de divergências com o PSL-SP e algumas decepções com o governo. Foi dissuadido por colegas e disse que decidiu ficar e “resistir”.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER