21.01.2020 | 19h05


ESQUEMA NA SEDUC

Justiça atende pedido e libera acesso de Taques à delação de empresário

A decisão proferida pela juíza da 7° Vara Criminal, Ana Cristina Silva Mendes, foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico desta terça-feira (21).


DA REDAÇÃO

A juíza da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, Ana Cristina Silva Mendes, permitiu que o ex-governador Pedro Taques (PSDB) tenha acesso ao Termo de Acordo de Colaboração Premiada feito entre o empresário Geovani Belato Guizardi, dono da Construtora Dínamo, com o Ministério Público do Estado (MPE).

A decisão foi preferida no último dia 19, no processo que tramita em segredo de justiça, mas foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico desta terça-feira (21).

Ao analisar a solicitação, a magistrada destacou que não encontrou nenhum obstáculo no pedido do ex-governador para que não fosse atendido.

“Em análise dos autos, verifico que não há qualquer óbice quanto ao pedido postulado por José Pedro Gonçalves Taques de ter acesso do Termo de Acordo de Colaboração Premiada celebrada entre o Ministério Público e Geovani Belato Guizardi. Diante disso, em consonância com o parecer Ministerial de fls. 464/467, defiro o pedido formulado”, diz trecho da decisão.

Em 2016, o empresário detalhou ao MPE um esquema de fraudes a licitações de obras da Secretaria de Educação do Estado, com cobrança de propina dos contratados. A delação ocorreu no âmbito das investigações da operação Rêmora.

O empresário disse ao MP que arrecadou cerca de R$ 1,2 milhão em propina repassada por empreiteiras pela Seduc.

Do montante, ele entregava de R$ 120 mil a R$ 160 mil ao empresário Alan Malouf que, segundo o delator, dividia a quantia com Guilherme Maluf, então presidente da Assembleia Legislativa.

Em declaração ao MPE, Guizardi ressaltou que os valores eram referentes a 50% da propina, arrecada pelo grupo criminoso. Segundo ele, Alan Malouf ficava com 25% e Guilherme Maluf com 25%. Leia mais











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO