06.12.2019 | 14h20


PESO DA MÁQUINA

Governo Mauro corre contra o tempo para tentar pagar 13º salário em dezembro

Além da folha salarial no montante de R$ 500 milhões, o Governo precisa de mais R$ 560 milhões para quitar o 13º. Mauro promete dar resposta definitiva na próxima semana.


DA REDAÇÃO

Há menos de um mês para o fim do ano, o governador Mauro Mendes (DEM) não garantiu o pagamento do 13° salário dos servidores públicos. Ao ser questionado sobre o tema, ele respondeu que ainda não pode anunciar se pagará o benefício até o dia 20 dezembro, por não ter “elementos” que garantam o repasse.

No entanto, o democrata disse que, provavelmente, dará uma resposta definitiva na próxima semana.

“Ainda não posso anunciar porque não tenho elementos, mas posso afirmar que fizemos planejamento com a Secretaria de Fazenda. A gente trabalha muito para entregar resultado, e no devido momento vamos anunciar”, disse o governador.

“Ainda não posso anunciar porque não tenho elementos, mas posso afirmar que fizemos planejamento com a Secretaria de Fazenda. A gente trabalha muito para entregar resultado, e no devido momento vamos anunciar”, disse durante o lançamento da Arena Encantada, nesta terça-feira (06).

Além da folha salarial de dezembro no montante de R$ 500 milhões, o Governo precisa de mais R$ 560 milhões referente ao 13º.

“Temos um time para que as coisas aconteçam dentro do mês de dezembro”, reiterou.

O Governo apostava no sucesso do Mutirão Fiscal para o pagamento do 13° salário, mas o programa fechou com previsão de arrecadação abaixo das expectativas. O Estado esperava receber R$ 150 milhões, com o pagamento da primeira parcela ou quitação dos valores à vista, e ficou com pouco mais da metade, R$ 59,82 milhões.

No ano passado, sem a vinda do Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações (FEX), a gestão de Pedro Taques (PSDB) não conseguiu pagar o 13° servidores. O benefício foi divido em parcelas pela atual administração.

Antes, o Estado pagava o abono no mês do aniversário do servidor, mas devido à crise jogou a data para o dia 20 de dezembro.

Temos um time para que as coisas aconteçam dentro do mês de dezembro”, reiterou Mauro.

Outras estratégias

No lançamento do Mutirão Fiscal, o secretário de Fazenda, Rogério Gallo, disse que os recursos previstos para Mato Grosso da cessão onerosa do leilão do pré-sal, cerca de R$ 332 milhões, não serão usados para pagar o 13° salário, no entanto, reforçou que o governo tem buscado outras medidas para garantir o pagamento.

“Estamos trabalhando com outras estratégias, inclusive, do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (CIRA), o provisionamento de recursos do caixa do Tesouro do Estado, com o Mutirão Fiscal que são outras estratégias para que a gente consiga até o dia 20 de dezembro dar tranquilidade necessária aos servidores públicos e receber o seu direito que é o 13° na conta”, destacou.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Armindo de Figueiredo Filho  06.12.19 15h24
DIZ NÃO TER ""ELEMENTOS!!!QUE ELEMENTOS SÃO ESSES??? Não se trata disso!!! ... , e SIM DE COMPROMISSO ,DEVER e OBRIGAÇÃO... que não teve desde o início do MANDATO!!! VERGONHOSO!! O "Equilíbrio Financeiro" que tanto almejaram.... ATÉ AGORA """NADA""" Se, estão tendo dificuldades agora, para honrar esses ""dois meses"", imagina o de JANEIRO, que PROMETEU PAGAR Até o dia 10 de fevereiro. (EM DIAS)...VAMOS VER.. se vai ficar só no BLÁ BLÁ BLÁ....... ETA DESGOVERNO!!!!!

Responder

3
0
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO