27.01.2017 | 14h50


SORVETES E BOMBONS

Governo gasta R$ 2 milhões com alimentos ‘finos’ para secretarias

Quatro empresas venceram o pregão; Secretaria de Gestão diz que produtos são para atender à demanda de algumas pastas por um ano


DA REDAÇÃO

Para atender à demanda de algumas secretarias de Estado, pelo período de um ano, o Governo de Mato Grosso fez uma previsão de compras no montante R$ 2.017.939,54. Os produtos alimentícios que vão desde gêneros mais simples até itens mais caros, muitos dos quais não integram parte do cardápio da maioria dos mato-grossenses.

Em meio aos produtos, se destacam bombons, sorvetes, vários tipo de carne, biscoitos, geléias e iogurtes.     

O extrato do pregão eletrônico, feito pela Secretaria de Estado de Gestão (Seges), é publicado no Diário Oficial do Estado que circula nesta sexta-feira (27).

Entre os itens, estão produtos como carne bovina (contrafilé e coxão duro), carne suína (lombo e pernil), frango (coxa, sobrecoxa, filé e peito) e vários tipos de peixes.

Um lote de carne bovina tipo patinho, por exemplo, está registrado com o preço de R$ 64,6 mil, enquanto o de contrafilé sai por R$ 60,98 mil e o de carne charque, por R$ 49,51 mil.

Leite condensado, creme de leite, doces em calda (figo, abacaxi, pêssego e ameixa), xaropes (uva, groselha e guaraná), mel, uva passa, refrigerantes, cereais, gelatinas, polpas de frutas e doces em barra (paçoca e abobora) são outros itens que estão na lista do Executivo.

Lote de leite por R$ 147 mil, assim como lotes de leite de coco e outras variações da bebida, também estão registrados no extrato do pregão.

Quatro empresas são responsáveis pelos preços dos 233 lotes apresentados, que também tiveram frutas, verduras e legumes registrados. 

As empresas vencedoras foram Metha Supermercados Ltda., Moreira, Comércio de Produtos Alimentícios Ltda., Provel Comercio de Alimentos Ltda. e Ugolini Campo Eireli.

Outro lado

A Secretaria de Estado de Gestão (Seges) informou, por meio da assessoria, que Pregão Presencial 008/2016 irá gerar uma economia ao Estado de R$ 617 mil, e que o valor total da ata de registro de preços, de mais de R$ 2 milhões, é "uma expectativa de gastos".

Segundo a assessoria, os alimentos serão para atender às secretarias de Segurança Pública, Saúde, Trabalho e Assistência Social, Justiça e Direitos Humanos e Meio Ambiente.

 











(7) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

GUSTAVO lima  28.01.17 15h13
Enquanto isso o BATALHÃO de proteção AMBIENTAL está caindo sobre a cabeça dos polícias militares, foi interditado pela defesa civil!!! E detalhe o tanto de mutal que e gerado pelo o BATALHÃO AMBIENTAL se você revertida apenas 1% para a reforma ou manutenção da upm seria necessário A policia militar está jogada as traças não tem investimento nem um as forças taticas estão sem estrutura alguma para operar veículos sem condições para patrulhamento munições vencidas placas balística vencidas, esse é o governo de transformação que vive apenas de mídia, o BATALHÃO ROTAM está com aquela estrutura pois está andando com suas próprias pernas com polícias que tira de seu próprio bolso para aquisição de fardamento e manutenção do prédio, a você cidadão que acha que a polícia está cagando para a sociedade, e que os policiais militares não tem estrutura para atender melhor a sociedade!!!! E a culpa é do senhor Pedro José taques governo do estado que não está investindo na segurança pública como si deve investir, e claro que ele sempre irá rebater tirando a culpa dele é como sempre jogando para cima do servidor público!!!! Alega que o estado está quebrado mas fez várias contas e deixando sempre a conta única do estado no vermelho, mas se juntar toda as contas e pagando todas as dívidas do estado e os funcionários sobra 20 milhões por mês, isso mesmo sobra 20 milhões por mês nos cofres públicos agora uma pergunta para onde está indo este dinheiro???? Acorda povo matogrossense esse cara que paga de santo não é nada nosso estado está caótico por que ele quer!!!

Responder

12
0
Paulo  28.01.17 12h32
Por que não contrataram o Buffet Leyla Malooooouufff!?!?

Responder

9
0
MAURA  27.01.17 19h02
PQP isso é piada

Responder

23
2
ANA CARLA  27.01.17 19h01
ISSO É TRANSFORMAÇÃO.. PEGA SEU DINHEIRO E TRANSFORMA EM DELES

Responder

32
4
Janjão  27.01.17 18h22
Enquanto isso, o servidor público que teria direito de ter esses itens na sua cada, para seus filhos, sua família, não pode, porque o governador e seus comparsas não deram a reposição do RGA!!!! Isso aí, 2018, votem nele!!!!!

Responder

33
3

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO