25.06.2019 | 12h00


CORTANDO GASTOS

Governador tem ‘carta branca’ para fechar mais quatro empresas públicas

Empresas tinham até 31 de maio para comprovar a viabilidade econômica. Medida de extinção faz parte da lei de Reforma Administrativa do Governo.


DA REDAÇÃO

O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou que é "real e concreta" a possibilidade de o Governo extinguir mais quatro empresas públicas de economia mista, principalmente com o fim do prazo de apresentação dos estudos de viabilidade econômica dos órgãos, em 31 de maio.

Mauro destacou que agora já tem a 'carta branca' para extinguir as demais empresas, mas ponderou que, mesmo encerrado o prazo de justificativas das empresas, a situação ainda está “sub judice”.

"Autorização já tem. Agora a questão de tentar viabilizar [economicamente as empresas] até eu estou tentando. Terão que mostrar que são viáveis e que podem dar retorno à sociedade a um custo menor. A possibilidade [de novas extinções] é real e concreta”, argumentou o gestor em conversa com a imprensa, na segunda-feira (24).  

Até o momento, o Governo já extinguiu duas empresas públicas, a Agem [Central a Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Vale do Rio Cuiabá] e Ceasa [Central de Abastecimento do Estado], que tiveram as suas atribuições absorvidas pela Empresa mato-grossense especializada em Parceria Público-Privada (MT-PAR) e Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf), respectivamente.

"Terão que mostrar que são viáveis e que podem dar retorno à sociedade a um custo menor. A possibilidade [de novas extinções] é real e concreta”,declarou Mendes.

Ainda estão sob análise de extinção as empresas Companhia Mato-grossense de Mineração (Metamat), Agência de Fomento do Estado de Mato Grosso S/A (Desenvolve MT), MTI [Empresa Mato-Grossense de Tecnologia da Informação] e Empaer [Empresa Mato-grossense Pesquisa, Assistência e Extensão Rural].

A medida de extinção está inserida dentro da lei de Reforma Administrativa do Governo - aprovada em Janeiro pela Assembleia Legislativa, que faz parte de um pacote macro denominado "Pacto por Mato Grosso", que visa a recuperação econômica e fiscal do Estado.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Servidor descontente   25.06.19 17h49
Concordo com o governo só no tocante a mt fomento eu acho que tinha era que aplicar mais o micro crédito umas 10x mais , as outras concordo e vou além na área do sistema penitenciário deveria acabar e fundir setores inteligência de um com outro Rh de um com outro e acabar aquela adijunta ter uma diretoria geral e seguir o modelo da PJC pense nisso governador

Responder

0
1

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER