08.02.2017 | 14h50


PODERES / VEJA FOTOS E VÍDEOS

Giovani Guizardi depõe ao Gaeco e detalha fraudes em licitações na Seduc

Delator da Operação Rêmora, o empreiteiro atuava na liderança das fraudes e pode complicar 'figuras' da política e empresariado, que ainda não foram citadas


DA REPORTAGEM

O empresário Giovani Guizardi, dono da Dínamo Construtora e da Guizardi Júnior Engenharia chegou cerca de cinco minutos atrasado para o depoimento ao Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco). 

Ele vai prestar novos esclarecimentos sobre as fraudes na Secretaria de Estado de Educação (Seduc) ao longo de 2015 e início de 2016, que ocorreram por meio de cobrança de propina de empreiteiros, fraudes em licitações e formação de cartel de empresários que dividiam entre si as obras de construção e reformas de escolas estaduais em diversos municípios do estado. 

Giovani é réu e delator da operação Rêmora, deflagrada em 3 de maio do ano passado. Ele chegou a ficar preso durante cerca de cinco meses e agora responde em prisão domiciliar, depois que firmou acordo de delação premiada com o Ministério Público Estadual (MPE). 

Acompanhado de três advogados, ele não quis falar com a imprensa. O advogado Rodrigo Mudrovitsch afirmou que após o depoimento, deve prestar esclarecimentos à imprensa. 

Atualizada às 15h57:

Giovani Guizardi deixou o Gaeco por uma porta diferente de seus advogados, na tentativa de escapar dos jornalistas e fotógrafos que o aguardavam na recepção do órgão. O conseguiu capturar imagens do momento em que ele deixou o local, sem falar nada (veja vídeo abaixo). 

O advogado dele, Rodrigo Mudrovitsch, afirmou que o depoimento do delator não trouxe nada de novo em relação aos esclarecimentos anteriores, já prestados tanto ao Gaeco quanto ao Juízo da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, ele acredita que o novo chamamento ao Gaeco foi uma “mera formalidade do inquérito”. 

 

“Ele apenas reiterou e ratificou o que havia dito no passado. Essas novas investigações decorrem exatamente do que ele trouxe em seu compromisso de colaboração com as autoridades. Não há novidades da parte dele”, disse.

Questionado se houve perguntas sobre pessoas com prerrogativa de foro privilegiado, o advogado negou. "Hoje o depoimento foi prestado junto aos promotores do Gaeco”. 

Mudrovitsch também negou que perguntas tenham sido feitas para contrapor o que foi dito por Alan Malouf, que seria o parceiro de Guizardi no esquema da Seduc. “O depoimento de hoje não diz respeito ao Alan Malouf. A questão do depoimento dele [Alan Malouf], o que ele diz é uma questão que diz respeito ao direito de defesa dele. Eu não vou questionar isso. O meu cliente tem o compromisso de dizer a verdade e vem cumprindo com esse compromisso. Já houve reconhecimento por parte das autoridades com relação à validade do que ele disse e que acho que não nos compete agora entrar em polêmicas com o que os demais investigados falam, compete à Justiça investigar e apurar os fatos”, afirmou o advogado. 

 

Veja o momento da chegada de Giovani:

Confira o momento da saída de Giovani Guizardi do Gaeco:

Veja o que disse o advogado de Guizardi sobre o depoimento:

 

Galeria de Fotos:
Crédito: RepórterMT
Crédito: RepórterMT
Crédito: RepórterMT
Crédito: RepórterMT










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO