25.08.2019 | 17h45


SEM EMPRÉSTIMO

Fazenda: Pagamento de 13º e salário de dezembro ainda é incerto

Se Governo não conseguir empréstimo internacional de cerca de R$ 1 bilhão, os pagamentos podem ser prejudicados.


DA REDAÇÃO

O Governo do Estado estuda, por várias vertentes, uma forma de garantir o pagamento de 13° e salários dos servidores públicos até o final de dezembro. Mas, segundo o secretário de Fazenda, Rogério Gallo, a dívida com o Bank Of America poderá impedir que a medida seja cumprida, por se tratar de uma questão mais emergencial do caixa do Estado.

Em coletiva na sexta-feira (23), na Sefaz, Gallo comentou que não sabe se o 13º será pago ou não em dezembro, como projetado, embora o Governo não esteja medindo esforços para quitar o débito referente à parcela de U$$ 250 milhões com o banco internacional.

“Esse processo chegará ao Senado até a próxima terça-feira (27). Foi para isso que trabalhamos para dar tempo até dia 03 de setembro para  a gente ter esse contrato assinado e no dia 10, ao invés de se pagar o Bank Of Amercia, nós quitemos essa dívida de U$$ 250 milhões e passarmos a dever não mais parao Bank Of America e sim para o Banco Mundial”, explicou o secretário sobre o trâmite final do empréstimo.

“Há possibilidade de parcelar dentro desse ano ainda. Talvez se nós tivermos esses recursos disponíveis, conforme há uma possibilidade em outubro, talvez um adiantamento desse 13º ser pago nesse mês, entre início e final de outubro”, explicou.

Saldada totalmente a dívida, o secretário argumentou que o foco será garantir o décimo terceiro salário do servidor, de modo ainda a formalizá-lo em duas parcelas, ou seja, adiantar em parte a folha extra em setembro e outubro, para não gerar déficit ao Estado.

Ocorrendo tudo dentro do previsto, os funcionários públicos poderão sacar a renda adicional já no final de setembro, como afirma Rogério Gallo.

“Há possibilidade de parcelar dentro desse ano ainda. Talvez se nós tivermos esses recursos disponíveis, conforme há uma possibilidade em outubro, talvez um adiantamento desse 13º ser pago nesse mês, entre início e final de outubro”, explicou.

Com uma média de 100 mil servidores, o Poder Executivo projeta uma folha dupla no montante de R$ 1 bilhão mais R$ 600 milhões embutidos de servidores ativos e inativos.

“No final do ano nós vamos ter uma folha de dezembro de R$ 1,6 bilhão, sendo R$ 500 milhões da folha regular mais R$ 560 milhões do décimo terceiro. Então é uma folha de R$ 1,6 bilhão, nós estamos trabalhando com frentes em receita patrimonial, para ser arrecadas pelo Estado”, finalizou.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

joana  26.08.19 15h23
enquanto isso... comissionado da casa civil não foi trabalhar hoje a tarde.

Responder

0
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER