15.08.2019 | 16h30


CRISE DEMOCRATA

'Fabio consultou lideranças na minha frente antes de mudar direção do DEM', defende governador

A declaração ocorre após a família Campos questionar o fato de o ex-deputado Fabio Garcia escalar pessoas ligadas a Mauro para comandar o partido em Cuiabá.


DA REDAÇÃO

O governador Mauro Mendes (DEM) saiu em defesa do ex-deputado federal Fábio Garcia (presidente licenciado de seu partido) e afirmou que presenciou o momento em que lideranças do partido foram consultadas antes de determinar as mudanças no diretório municipal de Cuiabá.

A declaração foi dada na manhã desta quinta-feira (15), durante coletiva de inauguração da reforma do Pomeri (Centro de Ressocialização para Menores), que ampliou o espaço.

Na oportunidade, Mauro respondeu aos jornalistas que Fábio Garcia o consultou sobre o assunto.

"Vi [o Fabio Garcia] consultar outros membros na minha frente, inclusive, consultou o presidente da Assembleia Eduardo Botelho"

“Vi [o Fabio Garcia] consultar outros membros na minha frente, inclusive, consultou o presidente da Assembleia Eduardo Botelho. Acho que ele está agindo com tranquilidade”, em referência ao fato de o ex-senador Júlio Campos que teria disparado uma crítica ao ex-parlamentar, por não tê-lo consultado, já que ele é uma das lideranças do partido.

Mendes tentou contornar a situação de “constrangimento” entre os líderes do partido, lembrando o histórico político de Campos.  Entretanto, afirmou que “a democracia é o conviver com as divergências, pois partido é partido, faz parte e está tudo bem”.

Sem muito tempo para se dedicar as articulações da sigla, Mendes pontuou que está totalmente voltado para a administração do Estado no seu “papel de governar”.

“Meu principal papel é governar Mato Grosso e não ficar fazendo política nesse momento”, destacou.

Confusão no DEM

O ex-deputado, que também é suplente de senador, Fábio Garcia abriu uma crise na sigla ao escalar pessoas ligadas ao governador Mauro Mendes para comandar o diretório do DEM de Cuiabá.

De olho nas eleições municipais e, também, para afastar a sigla para longe do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) – que ensaia candidatura à reeleição – Garcia decidiu colocar na presidência municipal Alberto Machado, o Beto 2 a 1. Na vice-presidência está o ex-vereador Domingos Sávio, atual assessor do deputado Eduardo Botelho, além do advogado Pascoal Santulo, na tesouraria. Chica Nunes, ex-presidente da Câmara de vereadores da Capital, e Júlio Campos também integram a lista. 

A decisão teria pegado a família Campos de surpresa, que considerou a atitude de Fábio Garcia um desrespeito com os milhares de filiados ao partido. Júlio Campos, presidente regional em exercício do DEM, pediu reunião extraordinária para pedir explicações. O senador Jayme Campos também teria se irritado com seu suplente.

A reunião para tentar solucionar a crise está marcada para sexta-feira (16).











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER