21.03.2020 | 18h20


PODERES / CARTA AO GOVERNO FEDERAL

Estados pedem socorro financeiro para enfrentar coronavírus

Carta com pedido foi enviada ao Ministério da Economia neste sábado (21)



Os secretários de Fazenda estaduais pediram ao Ministério da Economia a liberação de recursos para ajudar no enfrentamento ao novo coronavírus. O pedido foi feito em carta enviada neste sábado (21) e assinada pelos secretários dos 26 Estados e do Distrito Federal, que requerem recursos para as Secretarias de Saúde e também para manter a capacidade fiscal dos entes federativos.

De acordo com o documento, a gravidade da situação não permite gastar tempo em discussões, sendo necessárias ações das três esferas de governo. Sem mais recursos, os serviços essenciais de Saúde e de Segurança estarão ameaçados.

Os gestores estaduais afirmam que o vírus está se espalhando no Brasil da mesma forma que ocorreu na Itália e na Espanha, os dois países europeus mais afetados. E que em momentos como esse, a população espera proteção do Estado.

Na carta, os secretários lembram que o Brasil tem um programa de saúde pública universal, mas que menos de 10% dos municípios contam com leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Há também, a previsão do próprio Ministério da Saúde que o sistema de saúde pode colapsar no mês de abril.

O documento ressalta que o estado de calamidade pública foi aprovado na sexta-feira (20), flexibilizando as metas fiscais. Os secretários estaduais também citam medidas tomadas em outros países, que estão aplicando grande quantidade de recursos para combater a crise, como é o caso do Reino Unido, Espanha e mesmo dos Estados Unidos.

No dia 16 de março, os secretários já haviam formulado outro documento, no qual estimam em 20%  as perdas inaugurais de arrecadação com a crise do coronavírus. 











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Gaspar  22.03.20 15h37
Dinheiro para o governador manter as renúncias fiscais de suas empresas, dos amigos do agro. As demissões em massa já estão sendo colocadas em prática. Preocupação com a população é zero.

Responder

2
0
walter liz  22.03.20 13h12
Já manda cortar duodécimo, Verbas indenizatórias, penduricalhos etc, dinheiro só pra salários e se salário for alto, cortar também. Esse povo está quietinho em casa e vão continuar recebendo esses absurdos ? É emergência, é guerra .

Responder

6
0

TV REPÓRTER

Enquete

REMÉDIO POLÊMICO

Você tomaria hidroxicloroquina caso contraísse Covid-19?

Sim. O remédio está no mercado há 70 anos

Não. O remédio não tem comprovação de pesquisa para Covid

Não. Cloroquina é o remédio do Bolsonaro

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO