16.09.2019 | 18h50


POLITEC

Estado vai contratar serviços ‘avulsos’ de médicos legistas para o IML

Os profissionais, segundo o governador, irão atuar nos municípios que não possui atendimento específico da Politec para laudos de necropsia, violência sexual e doméstica.


RAFAEL MACHADO

O governador Mauro Mendes (DEM) anunciou nesta segunda-feira (16) que fará o chamamento de médicos legistas para atuar e dar mais agilidade aos trabalhos de perícia técnica do Estado.

A intenção, segundo o democrata, é contratar esses profissionais para levar o atendimento necessário à população nas cidades onde não têm unidades da Politec (Perícia Oficial e Identificação Técnica), já que o Estado não possui caixa para promover concurso público no momento.

O governador explicou ainda que essa foi uma sugestão da equipe central da Politec que, apresentou um meio de solucionar a demora na prestação de serviços em análises de corpos humanos, exames laboratoriais e de alta complexidade como casos de estupro e homicídio. Atualmente esse serviço demora até quatro horas para ser efetivado, devido à alta demanda e falta de corpo técnico.

“A solução que encontramos foi fazer o credenciamento através de um treinamento desses profissionais que se habilitarem”, explicou o democrata.

“Acabamos de assinar um edital de credenciamento para que o Estado de Mato Grosso, através da nossa Politec [Perícia Oficial e Identificação Técnica] possa fazer um trabalho que é o credenciamento de médicos legistas naqueles locais onde o Estado não possui estrutura para prestar esse tipo de serviço”, anunciou.

Os médicos legistas primeiro serão selecionados por edital que deverá ser produzido para convocação ainda neste ano.

Todos os contratados prestarão serviços de forma “avulsa” e receberão um teto estabelecido em contrato. Posteriormente, os aprovados serão encaminhados para um treinamento preliminar e habilitação da profissão que deverá ser o segundo passo.

O governador não anunciou o número de vagas para concorrência específica, devido o certame estar ainda na primeira fase. A última fase é a contração via publicação no Diário Oficial (DO) do Estado.

“A solução que encontramos foi fazer o credenciamento através de um treinamento desses profissionais que se habilitarem”, explicou o democrata. 

Além disso, será um processo seletivo rápido para evitar novos transtornos no serviço público.

Todos os pré-requisitos para participar do "processo seletivo" estarão descritos no edital ainda a ser produzido.

“Vamos soltar um edital de credenciamento e as pessoas vão se habilitar. No edital já estabelece o valor que o Estado vai pagar por cada serviço”, finaliza o governador.











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Odilon  17.09.19 09h30
Porque não fazem o mesmo com Engenheiros ? Sabemos que na SINFRA e SEDUC o quadro técnico é insuficiente para cobrir a demanda de obras existente ! A Caixa Econômica trabalha com Engenheiros credenciados a cerca de 30 anos e não precisa aumentar o seu quadro técnico e muito difícil lançarem concursos ! A economia é significativa ! Na Caixa o Edital é lançado para contratação de Pessoas Jurídicas , nao tendo os seu técnicos vinculo empregatícios com a mesma !! Vamos pensar sobre isso governador ? Existem muitos engenheiros em todos os polos do estado aguardando isso !

Responder

0
0
MT mais transparente  17.09.19 08h06
Vamos extinguir a escala de serviço público de 24 horas por 72 horas de folga, e inadmissível em pleno século este tipo de escala. Vamos por fim nesta situacao

Responder

0
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER