17.10.2019 | 06h45


NOVAS SECRETARIAS

Emanuel retira da Câmara projeto de reforma administrativa em Cuiabá

A secretária de Gestão, Ozenira Felix, explica que os vereadores pediram alterações no texto para deixar a proposta mais clara.


DA REDAÇÃO

O projeto de minirreforma administrativa do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) foi retirado de tramitação na Câmara de Cuiabá para passar por adequações.

Segundo a secretária de Gestão, Ozenira Felix, os vereadores fizeram uma análise sobre a proposta e sugeriram algumas alterações no texto com objetivo de deixá-lo mais claro.

“Na verdade não são grandes alterações. Por exemplo, na parte da Secretaria Extraordinária dos 300 anos foi pedido para colocar no texto em extinção. Tem uma parte que foi solicitada mudanças em alguns artigos que eles [parlamentares] acharam que não deveriam estar lá”, explicou.

“Estamos fazendo apenas adequações de acordo com a análise da Câmara e também o que gente achou pertinente. Então, não tem nada de mais”, frisou.

A secretária disse que as alterações já foram feita no texto e que o projeto foi remetido para análise da área técnica da Câmara dos Vereadores, nesta quarta-feira (16).

Caso seja aprovada, a mensagem será enviada novamente na quinta-feira (17).

Minirreforma

A minirreforma administrativa proposta pelo prefeito Emanuel Pinheiro prevê a extinção das Secretarias de Serviços Urbanos e Extraordinárias dos 300 anos e a criação das pastas de Turismo e da Mulher.

No lugar da pasta de Serviços Urbanos será criada a Empresa Cuiabana de Limpeza Urbana (Limpurb) que será vinculada à Secretaria de Obras.

O diretor da empresa será o atual secretário de Serviços Urbanos, José Stopa. Nos bastidores comenta que a primeira-dama, Marcia Pinheiro, pode comandar a Secretaria da Mulher. 

O prefeito avalia que, caso seja aprovada, as mudanças garantirão uma economia de 1,6% aos cofres do município.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO