10.07.2020 | 09h34


PODERES / ENTREVISTA À CNN

Emanuel Pinheiro: 'não se pode sobrecarregar e demonizar Cuiabá'

Prefeito destacou que dos 95 leitos de UTI municipais exclusivos para pacientes com covid-19, 60% são ocupados por pacientes do interior do Estado


DA REDAÇÃO

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), disse que a desestruturação do sistema de saúde do interior do Estado, principalmente durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), tem sobrecarregado os hospitais de Cuiabá.

Em entrevista à CNN Brasil nesta sexta-feira (10), Emanuel destacou que dos 95 leitos de UTI exclusivos para tratamento de pacientes com covid-19 60% são ocupados por pessoas de outras cidades do Estado.

"Há uma desestruturação do sistema de saúde no interior do Estado, o Centro Oeste não foge muito à regra, não se preparou leitos de UTIs também específicos, exclusivos para covid-19 no interior do Estado e a população migra desesperadamente para Capital que o sustentáculo da saúde de todo o Estado de Mato Grosso. Com essa desestruturação no interior, o vírus vem interiorizando com uma força e velocidade muito grande", disse o prefeito.

Emanuel comentou que na próxima semana deve entregar mais 20 leitos de UTI, além da entrega do kit-covid para pacientes com sintomas iniciais da doença.

"Só nos leitos exclusivos para covid-19 que a Prefeitura Municipal disponibiliza para população, que são 95 leitos, semana que vem vamos entregar pelo menos mais 20 até quarta-feira, 60% fechou do interior do Estado e 40% de Cuiabá. Tenho certeza que não é muito diferente da rede privada e nem nos leitos da rede pública estadual, então já é uma situação conhecida na nossa região a sobrecarga do interior, com a pandemia e com a desestruturação e falta de apoio ao interior do Estado a situação se agravou", destacou. 

Invasão de competência

Durante a entrevista, o prefeito voltou a criticar a decisão judicial que estabeleceu quarentena coletiva obrigatória na região metropolitana.

Ele comentou que no ponto de vista político não se pode sobrecarregar e demonizar Cuiabá.

"A partir do momento que decisões judiciais sem nenhum respaldo técnico querem determinar medidas para Capital, para a região metropolitana e deixa aberto todo o interior, inclusive mais de 30 municípios com situação de risco muito alto, é injusto. É injusto você querer trancar a população cuiabana em casa e abrir o Estado no interior", declarou.

"Eu tenho lutado muito contra isso, na justiça inclusive não contra o lockdown ou medidas restritivas que tenho tomado também, mas tenho lutado contra a invasão de competência daquilo que é competência do município", complementou.

Leia mais

Juiz prorroga quarentena em Cuiabá e VG por mais sete dias











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Paulinho  11.07.20 00h09
Acorda pra vida paleto!!! A cidade ta sem vagas em hospital pq vc nao fez mais com o $$ que veio, o tal do kitcovid vc so fez politica ate agora, anunciou e nao tem em nenhum lugar e nao adianta falar q a culpa é do estado, so hoje em Cuiabá morreram 14 e voce achando que esta tudo normal... todo mundo que entra internado no antigo ps sai de la morto, hospital referencia do que? So se for de morte ne, acorda

Responder

0
0
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO