06.09.2019 | 15h20


“NINGUÉM VAI ARREBENTAR CUIABÁ”

Emanuel ameaça barrar obra se não for ouvido por comissão do VLT

O prefeito ficou na bronca após a Prefeitura ficar de fora de uma comissão criada pelo Governo Federal e Estadual para discutir a retomada das obras do Veículo Leve sobre Trilhos.


DA REDAÇÃO

Sem espaço na comissão que foi criada para discutir a possível retomada das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) reforçou que ninguém vai entrar ‘arrebentando’ Cuiabá novamente sem ouvir antes o Município.

Em julho, o Governo do Estado em parceria com a Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana, do Ministério de Desenvolvimento Regional, montaram um grupo de trabalho para apresentar uma solução às obras do modal que estão paralisadas há quase cinco anos.

O emedebista reforçou que não irá considerar nenhum trabalho desenvolvido pelo grupo.

“Onde Cuiabá não tem assento, não acredito em nada. Cuiabá tem que ser ouvida ou não vai acontecer. Ninguém vai entrar arrebentando Cuiabá sem ouvir a população cuiabana”, avisou o prefeito durante a visita do ministro da Educação, Abraham Weintraub, na quinta-feira (05).

Emanuel destacou que a Prefeitura tem técnicos competentes para colaborar nos estudos e  frisou que a população precisa ser ouvida antes de uma possível retomada das obras.

“O que esta em jogo é o destino de vários usuários do transporte coletivo da Capital. O VLT vai andar aqui e em Várzea Grande, não vai andar pelo Estado. Como você imagina fazer uma obra desse porte sem ouvir a Prefeitura de Cuiabá, sem ouvir a população, não existe a menor possibilidade”, reforçou.

Ele ainda relembrou que quando iniciou sua gestão teve que corrigir as ‘agressões’ urbanísticas deixadas pela construção do modal.

“Olha o que aconteceu no passado, tivemos que corrigir inúmeras agressões urbanismos, ao desenvolvimento urbano da Capital porque entraram aqui de qualquer maneira e arrebentaram com a cidade e com os canteiros centrais, arrebentaram com nossa malha viária, agora estamos refazendo. Eu quero que faça, mas isso é responsabilidade do Estado desatar esse nó”, destacou.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

benedito costa  06.09.19 17h48
Emanoel Pinheiro a obra é do Estado, sua participação vai alterar alguma coisa? A Prefeitura vai entrar com grana? senão, deixa quieto e fica observando de camarote.

Responder

1
0
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO