21.03.2019 | 17h12


GOVERNO VETOU ARENA

Emanuel acusa individualismo e cancela Festa Cuiabá 300 anos

Em vídeo, o prefeito disse ter feito de tudo para garantir o festival, mas o individualismo de alguns setores barrou o evento que seria realizado em abril.


DA REDAÇÃO

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB)  cancelou a festa de aniversário de 300 anos de Cuiabá, prevista para ocorrer nos dias 06, 07 e 08 de abril com a participação de vários artistas nacionais e regionais, na Arena Pantanal. 

A declaração do prefeito, que está em Brasília, ocorreu por meio de vídeo postado nas redes sociais, na tarde desta quinta-feira (21).

“Desta vez não trago boas notícias, mas necessárias. [...] infelizmente comunico o cancelamento do Festival 300 anos que seria realizado na Arena Pantanal. Em virtude do individualismo de alguns setores, a nossa Capital não será mais presenteada com aquela linda festa, um momento emblemático que tanto sonhei para a nossa população”, disse Emanuel.

“Desta vez não trago boas notícias, mas necessárias. [...] infelizmente comunico o cancelamento do festival 300 anos que seria realizado na Arena Pantanal. Em virtude do individualismo de alguns setores da nossa Capital não será mais presenciada com aquela linda festa, um momento emblemático que tanto sonhei para a nossa população”, declarou Emanuel.

Na gravação, o prefeito explicou que há oito meses vem organizando a festa que seria custeada 100% pela iniciativa privada. O evento contaria com shows nacionais do Jota Quest, Zezé Di Camargo e Luciano, Leonardo e Chitãozinho e Xororó, além de celebração cristã, projeção mapeada que contaria a história de Cuiabá, e shows gospel de Fernandinho e do padre Alessandro Cowboy.

Emanuel afirma que, apesar do planejamento e garantia da manutenção do gramado da Arena Pantanal, a Federação Mato-grossense de Futebol acusou que o evento estragaria o gramado do estádio.

“Demos todas as garantias, mas não foram suficientes. Olha que a Arena Pantanal foi criada para ser uma arena multiuso e não só um palco futebolístico como funciona todas as arenas no Brasil inteiro”, disse.

"Demos todas as garantias, mas não foram suficientes. Olha que a Arena Pantanal foi criada para ser uma arena multiuso e não só um palco futebolístico como funciona todas as arenas no Brasil inteiro”, disse.

Em relação à Orla do Porto, o prefeito destacou que a falta de estrutura poderia comprometer a segurança da população devido ao tamanho do evento. A escolha do Sesi Papa foi descartada após detectar que o acesso ao local ficaria extremamente complicado, além da falta de estacionamento e segurança. Já o Parque de Exposições da Acrimat está em obra e não pode receber eventos.

“O secretário de Cultura Alan Kardec solicitou que falasse com o governador Mauro Mendes e o presidente da Federação Mato-grossense de Futebol, Aron Dresh, mas estou aqui em Brasília atrás de recursos para não deixar a nossa Santa Casa fechar as portas. Estou investindo todo meu tempo e minhas energias na saúde de Cuiabá”, argumentou.

Se for para criar uma polêmica, celeuma com alguém ou com alguma instituição que seja por motivos prioritários por Cuiabá, como por exemplo, nossa Santa Casa, o novo Hospital Municipal ou pelos R$ 82 milhões que até hoje o Governo do Estado não repassou para a Saúde da Capital. Vamos comemorar os 300 anos da Capital com muitas entregas [de obras], finalizou.

Veja vídeo:

 

Leia mais:

Governo veta festival na Arena Pantanal por recomendação do MP











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Anderson Alves Pinto  25.03.19 17h08
Achei muito justo que a Arena Pantanal fosse vetada para a realização do festival pretendido. Isto porque a Capital não tem outro estádio para realizar a etapa decisiva do campeonato estadual tendo em vista que a prefeitura não terminou as obras no Dutrinha. Não obstante a isso, vale lembrar que no ano passado, também falaram que o gramado não seria prejudicado com o Arena Rock e o que se viu foi um vexame nacional que Mato Grosso passou com o estado do gramado, motivo de críticas em todo o Brasil. Naquela oportunidade o estádio recebeu grandes públicos para a etapa decisiva da série C, ficando lotada na grande final. A série B vem aí, vitrine de Mato Grosso para o Brasil. Nosso futebol está crescendo e o prefeito precisa respeitar isso.

Responder

0
0
Cuiabana  22.03.19 08h11
PEGA ESSE DINHEIRO E VAI INVESTIR NA SAUDE ... SANTA CASA... JULIO MULLER... AO INVES DE PENSAR EM FESTA... INVISTA NA SAUDE BEM MELHOR...

Responder

10
5
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO