27.01.2017 | 12h15


CITADO NA LAVA JATO

Defesa de Silval afirma que delação de ex-diretor da Petrobrás é inválida

Advogados do ex-governador afirmam que as declarações de Nestor Cerveró não foram homologadas pelo falecido ministro Teori Zavascki


DA REDAÇÃO

Os advogados Ulisses Rabaneda e Valber Melo, que fazem a defesa do ex-governador Silval Barbosa (PMDB) afirmaram que o complemento da delação premiada do ex-diretor da Petrobrás, Nestor Cerveró, que cita o cliente da dupla como recebedor de propina relacionada a programa de asfaltamento em rodovias estaduais, não tem validade.

Isso porque, antes de morrer, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, indeferiu o pedido de homologação, conforme divulgou o jornal O Globo, na quinta-feira (26).

Silval é citado em delação de Nestor Cerveró sobre esquema na Petrobrás 

Por meio de nota, os advogados de Silval disseram que tomaram conhecimento do fato apenas pela imprensa, mas que irão averiguar a motivação do delator da operação Lava Jato a relacionar o ex-governador mais de um ano após firmar acordo com o Ministério Público Federal (MPF).

A defesa também quer saber a quem interessa o vazamento de tais informações.

“Até agora, as autoridades não atuaram no sentido de descobrir de onde partem, para onde vão e quais os motivos que determinam o vazamento de informações que deveriam ser sigilosas”, diz trecho da nota.

Rabaneda e Melo ressaltaram ainda que o contexto em que o nome de Silval Barbosa foi citado também não foi revelado.

“Impossível, pois, concluir que tenha sido envolvido em qualquer fato desabonador”, argumentou a defesa.

De acordo com a reportagem do O Globo, apesar da não homologar as declarações de Cerveró, Teori Zavascki mandou separar os novos depoimentos para que tramitem de forma isolada em novo processo “até nova decisão”, ou seja, o teor da delação não ficou descartado.

Confira a nota da defesa de Silval Barbosa na íntegra:

A defesa do ex-governador Silval Barbosa, diante da notícia de que Nestor Cerveró teria citado seu nome em complemento à sua colaboração premiada na operação Lava Jato, esclarece que tomou conhecimento do fato apenas pela imprensa.

Do que se pôde averiguar, o complemento da colaboração, onde supostamente teria aparecido o nome do ex-governador, não foi homologado pelo saudoso Ministro Teori Zavascki, o que afasta a validade de suas declarações.

Importa ressaltar que o contexto em que apareceu o nome do ex-governador Silval Barbosa também não foi revelado. Impossível, pois, concluir que tenha sido envolvido em qualquer fato desabonador.

Mesmo sem ter tido acesso ao suposto complemento de depoimento, sua aparição mais de um ano depois do original causa severa estranheza. Será profundamente averiguado o que motiva Nestor Cerveró a citar o nome do ex-governador apenas neste momento, e, também, a quem interessa o vazamento destas informações.

Até agora, as autoridades não atuaram no sentido de descobrir de onde partem, para onde vão e quais os motivos que determinam o vazamento de informações que deveriam ser sigilosas.

 

Ulisses Rabaneda

Valber Melo

Advogados

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER