22.01.2020 | 16h25


POLÊMICA DO NILO PÓVOAS

Casa Civil critica pedido de Emanuel sobre escola: por que não assumiu a Santa Casa?

O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho criticou a sugestão do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, em requerer a cessão da Escola Estadual Nilo Póvoas para a prefeitura tocar


DA REDAÇÃO

O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, criticou o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) após o anúncio de que iria requerer ao Governo do Estado a cessão da unidade física da Escola Estadual Professor Nilo Póvoas, localizada no bairro Bandeirantes, em Cuiabá, para prefeitura.

A declaração de Emanuel ocorreu depois que a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) anunciou a desativação da escola por falta de alunos (veja artigo do prefeito sobre o assunto). A Pasta alega que o prédio tem a capacidade de atender cerca de mil alunos, no entanto, atualmente, apenas 130 estudam no local.

Para Carvalho, o prefeito é apaixonado em fazer política de confronto e de discussões pesadas e que não entrará no jogo dele.

“O prefeito Emanuel Pinheiro é um apaixonado né! Um apaixonado pela política de confronto, uma política de discussões pesadas e não vamos entrar nesse jogo. Nossa política, na gestão do governador Mauro Mendes, é uma política da transparência, da honestidade, da eficiência”, disse o secretário-chefe em entrevista ao Jornal do Meio Dia, nesta quarta-feira (22).

Ele ainda comentou que o prefeito deveria ter mostrado a mesma “intenção” no ano passado, quando a Santa Casa de Misericórdia fechou às portas devido a problemas financeiros.

“Ele deveria ter dito a mesma intenção com a Santa Casa de Cuiabá. A Santa Casa fechou [às portas] mais de 60 dias e ele não teve a iniciativa de assumir. Nós assumimos a Santa Casa, então, temos que ter uma postura única na política, uma conduta única e é isso que o governador Mauro Mendes tem determinado a toda a sua equipe”, ponderou.

O governo explica que a desativação da escola faz parte de um processo de reordenamento da rede estadual e que o espaço será transformado num Centro de Referência em Educação Inclusiva.

O secretário-chefe da Casa Civil comentou que foram destinados cerca de R$ 3 milhões para o início da reforma e que o atual nome será mantido.

Ainda conforme o gestor, os alunos da Escola Nilo Póvoas serão remanejados para a Escola Estadual Antônio Epaminondas, no Bairro Lixeira, que também oferta o ensino médio em tempo integral.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO