02.05.2017 | 10h09


PAGAMENTO ATRASADO

Botelho pressiona Taques por emendas de R$ 129 milhões

Conforme o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (PSB), o pagamento está atrasado e os Poderes Legislativo e Executivo devem se reunir para definir um cronograma de liberação dos recursos


DA REDAÇÃO

Os deputados estaduais vão pressionar o Governo para que pague as emendas impositivas previstas em orçamento para 2017. Cada parlamentar tem direito a R$ 5,4 milhões em emendas, que totalizam R$ 129,6 milhões.

Conforme o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (PSB), o pagamento está atrasado e os Poderes Legislativo e Executivo devem se reunir para definir um cronograma de liberação dos recursos.

“As emendas estão previstas em orçamento e são um direito dos deputados, que através delas podem indicar pequenas obras para os municípios de Mato Grosso. Vou brigar para que sejam pagas”, disse Botelho.

“As emendas estão previstas em orçamento e são um direito dos deputados, que através delas podem indicar pequenas obras para os municípios de Mato Grosso. Vou brigar para que sejam pagas”, disse Botelho, em entrevista para a rádio Capital FM.

O parlamentar afirmou que não há motivos para os atrasos na liberação das emendas, uma vez que a arrecadação do Estado está ocorrendo conforme o previsto na Lei Orçamentária Anual (LOA).

“A arrecadação não baixou, se fosse o caso, entenderíamos. Mas o governo tem condições de pagar e quero saber por que isso não está ocorrendo. Vamos tratar dessa questão essa semana”, pontuou o presidente da Assembleia.

No ano passado, o Governo do Estado deu início à liberação das emendas no final do primeiro semestre.

No Governo Federal

Este ano, em âmbito federal, as emendas apresentadas por deputados e senadores ao Orçamento vão sofrer um corte de R$ 2,3 bilhões. O número, equivalente a 26,4% das emendas de execução obrigatória, foi divulgado na sexta-feira (31), e integra o contingenciamento geral de R$ 42,1 bilhões que será feito nas despesas de 2017.

Com o bloqueio, os parlamentares terão à disposição para execução, conforme uma programação definida pelo Executivo, R$ 6,4 bilhões, o que dá aproximadamente R$ 10,8 milhões por congressista (513 deputados e 81 senadores).

Como a medida de corte de gastos atingirá o Estado, é possível que as emendas parlamentares em Mato Grosso também sofram redução.











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Mteu  02.05.17 17h17
Se o Pedro Taques tem dinheiro pra pagar as milionária emendas para os deputados, então ele tem dinheiro pra pagar na integral os RGAs 2016 e o de 2017, ou pagar os salários em dia como fazia o Silval Barbosa. Que saudade do Silval.

Responder

4
1
alexandre  02.05.17 12h37
desperdicio pagar emendas pra manter curral eleitoral.

Responder

6
0

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO