28.05.2019 | 19h20


"VOU F... TODO MUNDO"

Advogado alega desconhecer ameaças de Malouf a promotor

Em nota, Hundel Rolim declarou que teor das conversas causa estranheza e não fazem parte do processo.


DA REDAÇÃO

O advogado Huendel Rolim - responsável pela defesa do empresário Alan Malouf, sócio do Buffet Leila Malouf – disse desconhecer as cópias de conversas por WhatsApp entre seu cliente e o ex-promotor de Justiça Fábio Galindo, que vazaram na imprensa nesta terça-feira (28).

No suposto diálogo, Malouf declara que Hundel havia lhe orientado a fazer um acordo de delação premiada, mesmo sem provas, com o Ministério Público para se ‘livrar da prisão.

“O HR já me falou... Mais vale a versão do que os fatos... Vou ferrar todo mundo e vocês que se virem... Até tudo se resolver vocês vão passar pelo que estou passando”, ameaça o empresário, que se tornou delator.

Em nota, o advogado declarou que “não reconhece a presente conversa, sequer sabendo donde a mesma “apareceu”, causando estranheza à defesa”.

Huendel explica ainda que Alan não juntou nenhuma cópia de diálogo com Galindo, por isso, desconhece se as conversas façam parte do processo.

“Esclarece que não juntou em acordo de colaboração premiada nenhum print de conversas realizadas com o Sr. Fábio Galindo e desconhece que essas “conversas” façam parte de algum procedimento criminal”, diz trecho do comunicado.

O advogado encerra o texto reiterando que Alan Malouf “possuía um relacionamento de muita proximidade com Sr. Fábio Galindo, conforme já relatado perante a PGR e que continua prestando os devidos esclarecimentos às autoridades constituídas, sobre todos os termos e pontos de seu acordo de colaboração premiada, já homologado pelo Supremo Tribunal Federal”.

O caso

Em trechos de uma conversa, por WhatsApp, em 2016, antes de ser preso, o empresário faz ameaças a Fábio Galindo, caso este não o ajudasse.

Malouf afirma que estava com medo de ser preso e pede a ajuda de Galindo. Como o promotor nega, o empresário passa a o ameaçar:

“Olha, vou ser bem sincero com você. Vou fuder todo mundo. Todo mundo. Inclusive você”.

Alan Malouf foi preso por participar do esquema de fraudes em licitações da Seduc. Ele firmou acordo de delação premiada, mas pode perder o benefício se ficar comprovado que ele mentiu à Justiça. Recentemente, uma série de documentos tem vindo à tona indicando que ele teria tentado incriminar Galindo, assim como outras autoridades por vingança. 

De acordo com o empresário Giovani Guizardi, Malouf ficava com 25% da propina desviada em contratos entre empreiteiras e a Seduc. Ele foi condenado a 11 anos de prisão.

Clique aqui e confira abaixo a conversa na íntegra. 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER