26.03.2020 | 08h17


OPINIÃO / MANOEL VICENTE

Telepsiquiatria, preservando a saúde mental em meio a Pandemia

Vacina, teste sorológico, leito de UTI, ventiladores mecânicos, de repente nossa mente foi dominada por essas palavras.

Outras coisas também passaram a dominar a nossa mente.

Ansiedade, apreensão, medo de sair de casa, até crises de pânico estão ocorrendo em meio a uma situação inusitada: isolamento social forçado, bombardeio de notícias, falsas, ponderadas, alarmistas, negacionistas, todas misturadas. Avós separadas dos netos, filhos separados dos pais.

Enfrentar esse cenário e conservar equilíbrio emocional e manter a saúde mental fica cada dia mais difícil.

Com muita sensibilidade, dezenas de profissionais estão abordando o tema, adoramos dicas, sugestões e técnicas de como contornar a angústia que a pandemia está desencadeando.

Não é tão fácil usar aplicativos de meditação e fazer abdominais se a pessoa tem um transtorno de ansiedade, depressão ou síndrome do pânico, nesses casos medidas comportamentais e pensamento positivo não vão adiantar, é quando o tratamento profissional entra em cena.

A situação demanda posicionamento firme, assertivo e corajoso. Mais um batalhão entrou em cena, os médicos Psiquiatras.

Estima-se que na epidemia do coronavírus SARS em 2002 quase metade dos pacientes desenvolveram Transtorno de Estresse Pós Traumático. Mitigar agravos à saúde mental é, portanto, fundamental não só para alívio imediato da condição, como também para prevenir cicatrizes emocionais em toda a população.

A partir deste mês, de forma excepcional e enquanto durar a calamidade da pandemia, é possível receber atendimento psiquiátrico à distância, através de videochamadas ou chamadas telefônicas para tratamento de sintomas ou transtornos mentais.

A medida vai preservar a segurança de médicos, pacientes e secretárias, pelo contato ser à distância. Pessoas que moram em cidades distantes dos grandes centros serão muito beneficiadas. Casos graves e emergências que exijam exames e intervenção presencial continuarão a ser atendidas em pronto-atendimento e serviços especializados.

Psicólogas já realizam atendimento on-line há algum tempo e com certeza também serão indispensáveis nesse momento.

Não deixe de seguir seu tratamento, se precisar de auxílio, estamos aqui.

Depressão tem tratamento!

Manoel Vicente de Barros é Médico Psiquiatra em Cuiabá e atua no tratamento de Depressão e Ansiedade, CRM 8273, RQE 4866.

 

Os artigos assinados são de responsabilidade do autor, não apresentando, portanto, a opinião do site ReporterMT.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.


Confira também nesta seção:
08.04.20 10h09 »  Cuiabá 301
08.04.20 09h43 »  Mais do que nunca, estamos juntos!
08.04.20 07h55 »  Home office – Vantagens e Desvantagens
08.04.20 07h55 »  A verdadeira crítica
08.04.20 07h55 »  O efeito da crise
08.04.20 07h55 »  'Coronavoucher'
07.04.20 08h12 »  Áreas públicas
07.04.20 08h10 »  Leva tempo, mas vale à pena
07.04.20 08h05 »  Pandemia e pandemônio
07.04.20 07h59 »  Raízes cuiabanas

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO