15.05.2019 | 10h01


RUBENS DE OLIVEIRA

Saúde centrada na pessoa

O contato mais próximo do médico com o paciente é primordial.

O Brasil passa por uma série de mudanças nos padrões de consumo, alimentação e comportamento. Naturalmente, com reflexos para a saúde. Se no passado as doenças infecciosas eram responsáveis por mais de 50% das mortes, hoje, com as melhorias de condições sócio-econômico-culturais, a mortalidade é preponderantemente consequência das doenças crônicas não transmissíveis, como hipertensão, diabetes, asma, insuficiência cardíaca, bronquite, enfisema pulmonar e obesidade.

De acordo com dados da Organização Pan-americana de Saúde essas doenças já são a principal causa de mortalidade e de incapacidade prematura da população. Este dado é alarmante, principalmente se considerarmos que estes males podem ser controlados e até evitados com mudanças comportamentais e de estilo de vida. 

Nesse sentido, avança em todo o mundo a ideia de que o modelo de assistência em saúde praticado em nosso país não dá mais conta de atender às necessidades impostas pelo modo de vida moderno. O atendimento médico focado somente na doença, restrito ao quadro agudo, precisa dar espaço ao foco na prevenção e na promoção de qualidade de vida e que, ao mesmo tempo, disponha do que há de melhor no tratamento de doenças, caso elas surjam ou sejam agravadas.

A saúde do século XXI deve ser pautada em atendimento centrado no paciente, com modelo assistencial que permita o acompanhamento contínuo, com orientações de educação em saúde e cuidados preventivos. O contato mais próximo do médico com o paciente é primordial. O profissional médico assume um papel de médico da família, e quando recomendado, atua junto com uma equipe multidisciplinar, promovendo o cuidado personalizado, que engloba os princípios da Atenção Primária a Saúde (APS).

Para fazer frente a este desafio, a  Unimed Cuiabá passou nos últimos três anos por uma profunda mudança organizacional, incorporando um novo conceito para o atendimento, que tem em seu pilar a atenção personalizada e a ênfase na medicina preventiva. A nova estratégia de cuidados valoriza o olho no olho, agregando a isto o estudo caso a caso, detalhado, para promover a saúde global do paciente e sua família, com as tecnologias mais inovadoras do setor. 

Ao mesmo tempo que o acompanhamento médico muda de perfil, o gerenciamento da saúde assume a responsabilidade de enxergar o paciente em todas as suas necessidades – físicas, mentais e emocionais, incluindo o contexto familiar.  O objetivo é evitar doenças e não apenas tratá-las. 

A Unimed Cuiabá possui a tecnologia, a técnica e as pessoas. Estamos agora mudando o olhar e aperfeiçoando os detalhes na busca por um novo jeito de atender. Afinal, melhor que ser tratado adequadamente quando se está doente é viver bem, prevenindo as doenças.  

Rubens Carlos de Oliveira Junior é médico patologista e presidente da Unimed Cuiabá.

Os artigos assinados são de responsabilidade do autor, não apresentando, portanto, a opinião do site ReporterMT.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.


Confira também nesta seção:
20.08.19 09h06 »  Liberalismo
20.08.19 09h04 »  Agroterrorismo
20.08.19 09h00 »  As criptomoedas e o Fisco
20.08.19 08h45 »  Urbanismo
19.08.19 11h00 »  Sentir-se velho
19.08.19 08h20 »  Preservação
19.08.19 08h18 »  O decano
19.08.19 08h16 »  Somos complexidades
19.08.19 08h13 »  Limite do estresse
18.08.19 07h55 »  O valor de cada um

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER