24.05.2020 | 07h55


OPINIÃO / WILSON SOARES FUAH

Repensar tudo

O isolamento por opção pode produzir a mais grave crise existencial da história individual da humanidade.

Quem ama de graça torna-se forte interiormente, pois ao entender que sobre cada ação errada ou acertada, amadurecemos afetivamente, aprendemos pouco a pouco a não abalar com as decepções, pois no dia-a-dia somos obrigados a desenvolve a habilidade de desejar mais amar que ser amado, mas muito só querem a segunda opção.

Aqueles que estão escravizados pela pressão de ser o melhor ou ser vencedor até quando não há competições, talvez o sejam porque ainda não entendeu que o verniz do brilho social não existe e serve apenas para camuflar a realidade, ou ainda não perceberam que as decepções amorosas ou financeiras estão ai para serem vividas e enfrentadas, é só usar o poder optativo que rompe os cárceres intelectuais e deixar de lado o abuso da visão preconceituosa de si mesmo. Somente uma mente humilde é capaz de gerar e receber a tolerância e a solidariedade.

Por onde andar, com certeza encontrará a possibilidade exercitar o momento prático das cooperações mútuas para minimizar as angústias dos outros e fortalecer as suas decisões, com a transfusão de amor ao próximo.

O isolamento por opção pode produzir a mais grave crise existencial da história individual da humanidade. A solidão só não estanca a união social, e para aqueles que já entenderam que a vida resume de decisões psicológicas participativas e que clama pela continuidade da própria existência coletiva.

Por toda parte desta cidade existem prisioneiros do mundo aleatório, vivem atrás de circunstancias e pactos sociais, porque se esquecem de que não existem portas fechas para aqueles que fazem a terapia em grupo em forma da caridade pura. Doar é o melhor remédio para atravessar a fronteira da imaginação espiritual, e por outro lado, ao acumular as ações no mundo das subtrações, constituirá em ponto para negativos para desenvolver a sua própria evolução.

Não deixe que o minuto inútil o transforme em referência ilusória, porque somente obedecendo à magia da vida e alimentando o espírito com orações verdadeiras, fortalecerá a ama e ressuscitará para sempre a sua esperança. Não se desespere e procure ajuda, pois sempre haverá alguém a lhe estender as mãos.

Muitos não colocam em prática o sentido real da caridade e mesmo que em seu caminhar encontre mãos pedintes e olhares tristes em busca de auxílios fingem que não veem e por isso jamais serão recompensados.

No momento em que uma pessoa consegue sair do estado de tristeza e comece a restabelecer a alegria de viver, é porque Deus lhe estendeu as mãos; e nesse momento que se perpetua a junção da iluminação da alma e a paz interior para entender o verdadeiro sentido da vida.

Seja qual for à causa ou a dependência pessoal, não será curada somente com ajuda daquilo que está dentro das caixinhas de “tarja preta”, porque para livrar-se da tristeza da alma, além da sua vontade própria, terá que buscar o auxílio divino, pois é através “dEle” que encontrará o caminho da paz e da luz.

Wilson Carlos Fuáh – É Especialista em   Recursos Humanos e Relações Sociais e Políticas.

Fale com o Autor: wilsonfua@gmail.com    

Os artigos assinados são de responsabilidade do autor, não apresentando, portanto, a opinião do site ReporterMT.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.


Confira também nesta seção:
14.07.20 09h56 »  O Sonho de Jogar Futebol
14.07.20 08h37 »  Vale do Rio Cuiabá
14.07.20 08h34 »  O que está por vir
14.07.20 08h31 »  Operação 'Juno Moneta'
14.07.20 08h28 »  Verdade e consequência
13.07.20 08h28 »  A emergência na educação
13.07.20 08h11 »  Rouba, mas faz
13.07.20 08h07 »  Revelações e mulheres
13.07.20 08h04 »  Quem são os seus gigantes?
12.07.20 07h55 »  Franquia na pandemia

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO