09.11.2019 | 14h49


CRUELDADE SEM FIM

Vigilante é morta em frente ao trabalho e ex-namorado é suspeito

Segundo delegado, autor teria pego a arma de um colega dela para matá-la e fugiu.



A vigilante Keila Ribeiro Tinoco, de 41 anos, foi morta na porta da indústria de cosméticos onde trabalhava, em Senador Canedo, na Região Metropolitana de Goiânia. O incidente ocorreu na manhã deste sábado (9). A Polícia Militar informou que chegou ao local do crime a tempo de ouvir a vítima mencionar um ex-namorado como provável autor.

“Ela falou aos policiais e às pessoas que estavam ali no local que o ex-namorado que teria atirado nela, ela conseguiu falar enquanto era socorrida”, disse o aspirante da PM Lucas Ramos, que atua no caso.

A Savoy, onde a vítima prestava serviços, disse, por meio de nota, que a equipe de brigadistas da empresa foram os primeiros a prestar os socorros à vítima, "bem como ativou a empresa contratante da funcionária e as autoridades". Também conforme o texto, a companhia lamenta o fato e "manifesta seu imenso pesar, solidarizando-se com a família e amigos da vítima".

A empresa Gocil, pela qual a vítima era contratada, também enviou uma nota, na qual lamentou a perda da funcionária e "se coloca à disposição das autoridades".

O delegado plantonista Lúcio Flávio disse que, a princípio, o homem teria pego a arma de um colega dela, atirado e fugido em seguida.

"Parece que eles tiveram uma conversa ontem e hoje cedo ele veio ao trabalho dela. Tem bastante seguranças, e ele aproveitou de um momento que um deles estava na porta, pegou arma de um vigilante e atirou", detalhou.

Também conforme o delegado, ainda não é possível precisar quantos tiros foram dados porque a arma usada foi um revólver e foi levada pelo autor.

O enfermeiro Pedro Palácios, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), informou que a equipe encontrou com a ambulância da empresa já transportando a vítima. Segundo ele, a mulher foi passada para a unidade do Samu e levada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Senador Canedo, mas morreu no caminho.

O Instituto Médico Legal (IML) disse que uma unidade foi buscar o corpo da vítima nesta manhã. Ele deve ser levado para o IML de Aparecida de Goiânia, que é o responsável pela região.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO