19.09.2019 | 14h30


INIMIGA ÍNTIMA

Polícia prende mulheres que filmavam e vendiam estupros dos filhos

O material era distribuído em fóruns da Deepweb; a investigação partiu de um comunicado da Interpol



Duas mulheres foram presas nesta quinta-feira (19/09/2019) acusadas de participarem de uma série de estupros e torturas de duas crianças, uma de 5 anos e outra de 12. Os atos eram filmados e distribuídos em fóruns da Deepweb. O caso foi registrado em Iguape e Cajati, no Vale do Ribeira, São Paulo.

As prisões fazem parte da Operação Pedomom, que teve início em maio deste ano e prendeu um homem em Iguape. A investigação partiu de um comunicado da Interpol sobre a detenção de um casal de ucranianos que produzia e distribuía arquivos com imagens de estupros de crianças.

Segundo informações do IG, durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão, o brasileiro tentou destruir o laptop e celulares, sem sucesso. Os dispositivos foram levados para análise da Polícia Federal, que identificou um grande volume de arquivos com cenas de abuso sexual praticados por ele em companhia das duas mulheres detidas.

Em nota, a Polícia Federal afirmou que há registro da ocorrência de mais de 30 estupros, além de imagens de tortura praticada contra uma das crianças.

“No caso de uma das agressoras, foi possível individualizar aproximadamente 20 atos de abuso sexual praticados contra o próprio filho. Os estupros eram filmados pelos agressores, que posteriormente os trocavam em fóruns da Deepweb dedicados especificamente a abusos sexuais praticados por pais e mães”, informou.

O crime de pornografia infantil prevê pena de 3 a 6 anos de reclusão. Já o estupro de vulneráveis prevê de 8 a 5 anos de pena.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER