30.03.2020 | 15h24


NACIONAL / COVID-19

Pacientes recuperados ainda podem transmitir doença por até 8 dias

Estudo divulgado aponta que infectados podem ser transmissores da doença mesmo quando já não apresentam sintomas



Um estudo publicado nesta segunda-feira (30) no Jornal de Medicina Respiratória e Cuidados Críticos dos EUA apontou mais um complicador sobre a Covid-19: mesmo após a recuperação, pacientes que foram infectados podem transmitir a doença por até oito dias.

Segundo informações do New York Post, o estudo determinou que metade dos pacientes ainda carregavam o vírus da Covid-19 mesmo após se recuperarem e deixarem de apresentar os sintomas.

Ao todo, 16 pacientes que estavam internados no Centro de Tratamento Intensivo do Hospital de Beijing , na China , foram monitorados ao longo do desenvolvimento da doença e da recuperação posterior entre os dias 28 de janeiro e 09 de fevereiro.

Na média, o estudo apontou que os pacientes seguem carregando o novo coronavírus ( Sars-Cov-2 ) por cerca de dois dias e meio, mas que alguns deles poderiam ser transmissores por até oito dias após o término dos sintomas.

"O dado mais significante do nosso estudo foi que metade dos infectados seguiu espalhando o vírus mesmo após se ver livre de todos os sintomas", afirmou o doutor Lokesh Sharma, da Escola de Medicina de Yale e co-autor do relatório.

"Essa informação pode fornecer dados importantes para o combate da doença, tanto nos hospitais como em políticas públicas, uma vez que sabemos que os pacientes podem contaminar outras pessoas mesmo após receber alta do hospital ", afirmou Sharma.

O doutor revelou ainda que a sugestão feita pelo grupo na conclusão do estudo é de que os pacientes da Covid-19 se mantenham em auto-isolamento por mais três dias após o término dos sintomas, principalmente para as pessoas que tiveram casos mais leves da doença e não necessitaram de internação: "se estiver em casa, estenda o isolamento por mais duas semanas após a melhora, garantindo assim que mais ninguém será infectado".

Por fim, apesar do resultado da análise, Sharma ressaltou a necessidade de outros estudos serem feitos, uma vez que este contou com um grupo pequeno de pacientes e não é possível garantir que o mesmo resultado seja encontrado em maior escala.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO