25.05.2020 | 07h50


NACIONAL / EX-MINISTRO

'Não houve um alinhamento com o presidente', diz Teich sobre saída do Ministério da Saúde

Em entrevista exclusiva à GloboNews, ex-ministro afirmou que não anteciparia a decisão de liberar cloroquina a pacientes leves de Covid-19.



O ex-ministro da Saúde Nelson Teich disse, em entrevista exclusiva à GloboNews neste domingo (24), que sua saída do cargo menos de um mês depois de ter assumido a pasta ocorreu por causa de um “desalinhamento” com o presidente Jair Bolsonaro e que a antecipação do uso da cloroquina e da hidroxicloroquina em pacientes leves de Covid-19 pesou em sua decisão.

Os remédios são defendidos por Bolsonaro, mas não têm comprovação de eficácia no combate à doença.

“Não houve um alinhamento com o presidente, e é ele que define, ele é o chefe da nação. Ele me colocou ali. Se por um algum motivo não existe um alinhamento, eu tenho que sair, porque ele é o presidente. Ele que foi eleito, ele coloca isso, ele que define tudo. E é justo, a posição dele é esta. Ele tem direito de fazer isso”, afirmou o ex-ministro.

“O que a gente tem que entender é o seguinte: desalinhamento não significa conflito, porque a gente mistura as coisas. Desalinhamento é: você tem uma linha de pensamento. Então, por exemplo, em relação a remédio. Eu não anteciparia a decisão (de liberar o uso de cloroquina em pacientes leves de Covid-19). Eu esperaria o laudo, o resultado clínico do estudo randomizado. Ele achou que era melhor antecipar, é uma escolha. Só que como a posição é distinta, eu tenho que sair.”










(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

JOHN DOE  25.05.20 11h49
Excelente entrevista, tirou de letra a armadilha que os entrevistadores armaram para ele.

Responder

0
0

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO