18.01.2020 | 14h20


FALHA NO EXAME

Ministro admite troca de gabaritos no Enem

Depois da divulgação do resultado na sexta (17), candidatos relataram problemas na contagem dos pontos e subiram a hashtag #errosnoenem.



O ministro da Educação, Abraham Weintraub, admitiu a ocorrência de falhas no resultado de parte das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019.  Junto ao presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, o ministro fez vídeo no Twitter em que afirma que o problema ocorreu com 0,1% dos candidatos. Segundo ele, o erro atinge um número baixo e estatisticamente insignifiante, mas será resolvido até segunda (20). 

Ainda não é possível saber o número exato de estudantes que foram prejudicados devido ao erro na correção. Em vídeo o ministro falou em 0,1%. No entanto, em entrevista coletiva Alexandre Lopes disse que o erro seria nos gabaritos de 1% dos candidatos. Cerca de 3,9 milhões de estudantes fizeram as provas no ano passado. Se o erro corresponde a 1% seriam 39 mil candidatos. 

"Nós encontramos inconsistências na contabilização da segunda prova do ano passado. Um grupo muito pequeno de pessoa teve o gabarito trocado, quando foi fechado os envelopes. É uma inconsistência fácil de ser consertada. Estão falando aí de 0,1% das pessoas que fizeram, dos milhões", argumentou.  O ministro lembrou que os candidatos, mesmo que poucos, não serão prejudicados. "Não pode ocorrer injustiça como essa. Até segunda tudo resolvido. Ninguém será prejudicado", argumentou.  

O presidente do Inep informou que está sendo feita "uma busca ampliada para identificar eventuais inconsistências". Os candidatos que se sentirem prejudicados devem enviar e-mail para o  enem2019@inep.gov.br com nome e CPF. O ministro ainda pediu desculpas pelo erro. "Peço desculpas para você que levou o susto. Até segunda tudo será resolvido", disse.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO