07.04.2020 | 09h34


NACIONAL / VIOLÊNCIA SEM FIM

Homem forja sequestro e tortura para reaver dinheiro

Tentativa era para "sensibilizar" estelionatário a devolver R$ 60 mil, quantia do prejuízo que teve com transação de moeda virtual



Divisão de Repressão a Sequestros (DRS) foi acionada para investigar o suposto caso de sequestro e tortura que se transformou em um grande golpe envolvendo, indiretamente, o estelionatário Marlon Gonzalez, 23 anos, conhecido como o playboy das moedas virtuais.

Em parceria com um empresário lesado pelo falsário, um ex-sócio de Gonzalez fingiu ser espancado, torturado e enforcado para “sensibilizar” o golpista a devolver R$ 60 mil. Durante a apuração, parte da DRS foi acionada e desvendou o falso sequestro.

O caso ocorreu no último sábado (04/04), quando a Polícia Civil do DF recebeu, via disque-denúncias, informações sobre um homem mantido em cativeiro sob tortura. A unidade especializada entrou no circuito e identificou uma chácara no Altiplano Leste como o local onde a suposta vítima era mantida.

Em um vídeo recebido pela PCDF, Felipe Fabiano Amorim é filmado sendo interrogado pelos supostos sequestradores. Completamente nu, com o pescoço amarrado com cordas e uma corrente, ele recebe tapas no rosto, enquanto supostamente é obrigado a contar onde estaria o dinheiro.

Nas imagens, Felipe Fabiano – alvo de inquéritos instaurados na 17ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Norte) por estelionato – apanha e conta o endereço da mãe de Marlon Gonzalez e o local onde estaria os R$ 60 mil, fruto de um golpe sofrido por empresários durante uma transação envolvendo a compra e venda de bitcoins.

Falso sequestro

Após identificarem o local onde o homem estava sendo mantido como como refém, equipes formadas por nove investigadores, armados com pistolas e fuzis, seguiram para a chácara a fim de libertar a vítima. Quando chegaram ao local, logo perceberam a farsa.

O falso sequestro havia sido organizado pelo dono da propriedade, um empresário enganado por Marlon Gonzalez. Felipe Fabiano havia resolvido ajudar o homem a forjar o sequestro tabmém com a ajuda do caseiro da chácara.

No entanto, Marlon não se mostrou sensibilizado com o ex-sócio sendo torturado e não acenou com a possível devolução do dinheiro. A DRS desfez o cenário do falso sequestro e levou tanto o empresário quanto o caseiro para serem ouvido em depoimento. Felipe Fabiano também foi localizado e interrogado.

Segundo o diretor do DRS, delegado Leandro Ritt, uma ocorrência com a natureza criminal de exercício arbitrário das próprias razões foi registrada. “No caso, essa apuração só avança se Marlon Gonzalez apresentar queixa, pois ele é o ofendido. No entanto, a Polícia Civil não consegue localizá-lo”, disse.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO