21.05.2020 | 09h58


NACIONAL / DOENTIO

Homem é preso após comandar tortura e estupro coletivo da ex-mulher

Vítima relatou ter sido agredida e estuprada em uma festa e que toda a ação teria sido comandada pelo companheiro



As investigações sobre um crime que chocou uma comunidade do Litoral Sul da Paraíba, no último dia 2 de maio, tiveram um desdobramento importante. Foi preso nesta quarta-feira (20/05), na cidade de Itapororoca, Agreste paraibano, um homem suspeito de comandar uma sessão de tortura e estupro coletivo conta a ex-companheira. O crime ocorreu em Jacumã, no município de Conde.

Apesar do crime ter ocorrido no Litoral, tanto o suspeito quanto a vítima são de Itapororoca e vieram com a intenção de participar de uma festa. No local onde essa reunião era realizada, a mulher relatou ter sido agredida e estuprada e toda a ação teria sido comandada pelo companheiro.

Segundo a Polícia Civil, a vítima foi levada para a Maternidade Cândida Vargas, em João Pessoa, após as agressões e chegou a a ficar seis dias internada. Ela afirmou que não  conhecia os outros seis homens que teriam participado da ação criminosa.

A vítima foi submetida a exames sexólogos, que não constataram conjunção carnal, porém o caso segue sendo investigado em virtude da possibilidade da mulher ter sofrido atos libidinosos classificados pela atual legislação como estupro.

A prisão ocorreu na tarde desta quarta-feira (20) e foi resultado de uma operação conjunta da Delegacia de Conde e guardas municipais de Itapororoca. O suspeito é ex-presidiário e, segundo a polícia, tem envolvimento com tráfico de drogas e assaltos. Ele foi encaminhado para a Delegacia de Conde

Em depoimento, o homem disse que não comandou nenhum estupro ou tortura e que a vítima se machucou após sofrer um acidente de carro. Segundo o delegado Marcos Paulo Sales, as investigações devem continuar para chegar até os outros seis homens.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO