13.08.2012 | 15h24


AGROPECUÁRIOS

Fiscais voltam ao trabalho em Mato Grosso

Profissionais seguem liminar do STJ para retorno de 100% das atividades.



Fiscais agropecuários federais retornaram ao trabalho em Mato Grosso. A retomada das atividades nas áreas de inspeção de abate de animais e vigilância agropecuária segue a liminar do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e que na última semana determinou o retorno de 100% dos profissionais às funções. A decisão é válida para todo território nacional, onde as atividades também voltam, aos poucos, a ser normalizadas.

De acordo com o delegado do Sindicato Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical) no estado, Nilo Silva Nascimento, 37 servidores já normalizaram em 100% suas atividades. Eles desempenham funções como inspeção e vigilância no estado. A unidade federada conta com 80 fiscais agropecuários.

"Estamos cumprindo o que a liminar determinou. Mas para o restante ainda nos reunimos para saber como será feito o retorno", afirmou o dirigente, em entrevista ao G1.

A categoria engloba servidores de diferentes áreas como engenheiros agrônomos, médicos veterinários e zootecnistas. Somente em Mato Grosso, entre segunda-feira (6) e a sexta-feira (10), a greve impediu a exportação de quase 2 mil toneladas de carne bovina in natura e congelada; a entrada de 657 mil toneladas de fertilizantes na unidade federada; e também o envio de 2,7 mil toneladas de sementes para outros estados, segundo levantamento realizado pela Anffa.

Apesar da liminar do STJ para o retorno das atividades, a categoria ainda questiona a decisão e garante recorrer sob justificativa de ter a corte ferido o direito constitucional de greve. Nesta semana, ingressa com uma medida tentando reverter a decisão, afirma Elias Eloi de Santana, do Comando Nacional de Mobilização.

"A categoria já está retornando ao trabalho, liberando as cargas retidas e as atividades sendo normalizadas. Mas isso não vai ocorrer rapidamente", destacou.

No país são 3,2 mil profissionais para realização de serviços ligados à garantia da segurança alimentar desde o campo até o consumidor final.

De acordo com o representante, um dia após ser comunicada oficialmente da decisão, o sindicato emitiu comunicado para que os serviços voltassem a ser realizados em todos os estados. "A partir da notificação, o sindicato emitiu comunicado a seus filiados para se cumprisse a medida cautelar. Mas violou a Constituição", considerou ainda o representante da mobilização.

Servidores de áreas como engenheiros agrônomos, médicos veterinários, zootecnistas e demais compõem o quadro de fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER