13.09.2019 | 10h56


APREDIZ DO CRIME

Estagiário desviou quase meio milhão da Caixa Econômica

Em dois meses grupo conseguiu liberar irregularmente um montante de R$ 468 mil, segundo o MPF. G1 aguarda manifestação da Caixa Econômica.



O Ministério Público Federal (MPF) entrou com uma ação na Justiça contra 13 pessoas investigadas por fraudar empréstimos na Caixa Econômica Federal em Roraima. Conforme a ação, um estagiário do banco era o mentor do esquema que desviou quase R$ 500 mil.

Além da condenação por improbidade administrativa, o MPF pede que os acusados tenham os bens bloqueados para garantir o ressarcimento ao erário.

O G1 entrou em contato com a Caixa e aguada resposta.

O estudante, que não teve o nome divulgado, trabalhou na Caixa de 2011 a 2012, e oferecia a amigos e familiares a possibilidade de liberação de empréstimos em valores superiores aos permitidos.

De acordo com o MPF, ele falsificava contracheques para aumentar a renda dos solicitantes e usava a senha de superiores para autorizar a transação e fazer o depósito em contas-correntes dos envolvidos.

Com a fraude, os valores liberados chegavam a R$ 55 mil por pessoa e o estudante exigia uma parcela do dinheiro, para efetuar a transação. Em apenas dois meses, o grupo conseguiu liberar irregularmente um montante de R$ 468 mil.

“Após a concessão do empréstimo, os valores eram sacados pelos requeridos, cujo montante jamais fora quitado perante a instituição financeira. Os requeridos, em nenhum momento, cogitaram fazer qualquer tipo de pagamento à Caixa, o que demonstra, de forma inequívoca, o intuito dos agentes em se apropriar indevidamente do dinheiro público”, descreve a trecho da ação.

As investigações apontam ainda que o estagiário usava senhas de uso exclusivo de dois servidores do banco, mas que eles não se beneficiaram dos repasses.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER