11.08.2013 | 08h53


NACIONAL / RIO DE JANEIRO

Empresa de Eike interrompe injeção de R$ 20 milhões em UPPs no Rio

Informação foi confirmada por Governo e Secretaria de Segurança Pública. Verba era usada para construção de sedes e compra de equipamentos.



O novo comandante das UPPs no Rio, Frederico Caldas, terá um desafio a mais, poucos dias depois de ser anunciado no cargo. A Secretaria de Segurança Pública confirmou neste sábado (10) que a empresa OGX, do empresário Eike Batista, cancelou os convênios com o órgão — conforme publicou o jornal "O Dia". Um dos contratos garantia R$ 20 milhões de reais por ano às Unidades de Polícia Pacificadora (UPP), que eram destinados para a construção de sedes e para a compra de equipamentos para a polícia militar.

 

 

Apesar disso, a Secretaria de Segurança informou, por meio de nota, que "já se organiza para dar continuidade a todos os projetos até dezembro de 2013. Já em 2014, todos os custos dos projetos entram no planejamento orçamentário da SESEG. Os projetos não serão prejudicados", garantiu.

 

O Governo do Estado também se pronunciou e minimizou a perda, destacando que, em 2013, o investimento público será de mais de R$ 7 bilhões. Ainda assim, em forma de agradecimento, reconheceu a importância da verba destinada pela empresa de Eike Batista.

 

40 UPPs até 2014

O anúncio do investimento foi anunciado numa cerimônia em 2010 e celebrado pelo secretário de Segurança, José Mariano Beltrame como "vital" para dar continuidade aos projetos na velocidade pretendida. De acordo com cronograma divulgado na época, o Rio formaria 5 mil policiais por ano e inauguraria 40 UPPs em 160 favelas até 2014.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO