07.03.2013 | 08h37


TESTE ATÔMICO

Coreia do Norte ameaça EUA com ataque nuclear preventivo

Os EUA e Coreia do Sul estão realizando manobras militares conjuntas na região e na segunda-feira iniciarão novos exercícios



 

A Coreia do Norte ameaçou os Estados Unidos nesta quinta-feira com um "ataque nuclear preventivo", em uma nova subida de tom por parte do país comunista à espera de que a ONU confirme a resolução que imporá novas sanções por seu recente teste atômico.

"Como os Estados Unidos estão a ponto de iniciar uma guerra atômica, vamos exercer nosso direito de um ataque nuclear preventivo contra o quartel-general do agressor para proteger nosso supremo interesse", indicou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores norte-coreano em comunicado divulgado pela agência estatal KCNA.

Os EUA e Coreia do Sul estão realizando manobras militares conjuntas na região e na segunda-feira iniciarão novos exercícios. Além disso, a iminência de um aumento das sanções aumentaram os ataques verbais do regime de Kim Jong-un, que pela primeira vez mencionou a possibilidade de lançar um "ataque preventivo".

No entanto, os analistas políticos não acreditam que a Coreia do Norte tenha tecnologia suficientemente avançada para lançar um míssil com capacidade nuclear nos EUA a curto ou médio prazo, por isso o desafio se insere mais na habitual retórica belicista do país.

Na terça-feira, Pyongyang prometeu acabar com o armistício que colocou fim à Guerra da Coreia (1950-53), em uma ameaça sem precedentes que chegou pouco após ser publicado um acordo entre os Estados Unidos e a China na ONU para impor novas sanções a Coreia do Norte por seu teste nuclear de fevereiro.

As sanções, que poderiam ser tornadas oficiais em breve, foram anunciadas hoje e incluem um reforço das inspeções no país para impedir o tráfico de produtos ilícitos e bens de luxo, assim como restrições a três novos indivíduos e duas empresas supostamente envolvidos em atividades ilegais.

O Ministério da Defesa sul-coreano afirmou hoje que a Coreia do Norte prepara exercícios militares em "grande escala" para a próxima semana, enquanto realiza testes de suas forças de terra, mar e ar. Os EUA mantêm cerca de 28,5 mil soldados na Coreia do Sul e se compromete a defender seu aliado em caso de agressão. A Guerra da Coreia acabou com um armistício que nunca foi substituído por um acordo final de paz.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER