27.08.2012 | 13h53


FERTILIZANTES

Consumo é quase 20% do Brasil

Só em julho, consumo atingiu 478,4 toneladas de adubo nas lavouras de MT , afirma Anda



Mato Grosso é o estado que mais consome fertilizantes no país. Nos primeiros sete meses deste ano, a região utilizou 2,821 mil toneladas do insumo agrícola. O volume, que é quase 3% superior em relação ao que foi registrado no mesmo período de 2011 (2,743 mil toneladas), representa 19,6% do consumo no país, de 14,338  mil toneladas. Os dados são da Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda). 

Só em julho o Estado consumiu 478,4 toneladas de fertilizantes. O resultado representa um aumento 5,5% frente ao volume em julho de 2011 quando 453,4 toneladas haviam sido consumidas.Segundo o setor da agropecuária no Estado, esses números demonstram a força da produção estadual para o cenário nacional.


O diretor da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Carlos Fávaro, explica que o consumo de fertilizantes está atrelado principalmente ao tamanho da área plantada no Estado, que tem crescido consideravelmente nos últimos anos, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). 


“Frente a essa produção, existe também o aumento do consumo”, explica. 

O Estado que soma produção total de 38,08 milhões de toneladas, 23% acima do volume de 30,94 milhões toneladas da safra passada, responderá por 23,4% da safra brasileira, que, conforme a Conab, soma 162,59 milhões, cerca de 1% menor que a registrada em 2010/11.De acordo com o gerente técnico da Associação dos Produtores de soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja/MT), Luiz Nery Ribas, o Estado com a maior produção também consome a maior parte de insumos, porém o consumo é associado à necessidade do uso de corretivos no solo, como o calcário agrícola. “Em Mato Grosso é necessária a correção do solo, e isso implica em maior consumo”, calcula. 

BRASIL


A quantidade de fertilizantes que foi entregue aos agricultores em 2012 ainda segue acima do volume entregue no mesmo período do ano anterior, aliás, atingindo o volume recorde para o período de 14,339 toneladas. 

Entretanto, a quantidade entregue no último mês, em julho (2,6 mil toneladas), foi inferior ao volume entregue no mesmo mês do ano anterior (2,7 mil t), com queda de 4,8%. 

Mato Grosso continua na liderança do consumo, com as entregas atingindo 2,822 mil toneladas. São Paulo vem em segundo e atingiu 2,034 mil toneladas, vindo a seguir o Paraná com 1,893 mil toneladas e o Rio Grande do Sul com 1,489 mil toneladas.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER