06.10.2012 | 18h16


CESTA BÁSICA

Brasileiro trabalhou mais de 95 horas em setembro para comprar cesta

Em agosto a jornada necessária foi de 95 horas e 03 minutos enquanto um ano antes, a mesma cesta exigia 93 horas e 58 minutos de trabalho.



Com a alta nos preços dos produtos da cesta básica verificada em nove das 17 capitais analisadas pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) em setembro, houve um leve aumento no tempo de trabalho necessário para comprar o conjunto de alimentos, se comparado aos minutos necessários em agosto.


De acordo com o levantamento, no nono mês do ano, o trabalhador brasileiro que ganha o salário mínimo precisou de 95 horas e 12 minutos, em média, para adquirir os produtos essenciais, enquanto em agosto a jornada necessária foi de 95 horas e 03 minutos.

Um ano antes, a mesma cesta exigia 93 horas e 58 minutos de trabalho. Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional da Cesta Básica, divulgada na sexta-feira (5).

No mês passado, Porto Alegre foi a capital onde as pessoas mais precisaram trabalhar para comprar a cesta básica: 110 horas e 09 minutos. Em seguida, aparecem Florianópolis (109 horas e 58 minutos) e São Paulo (109 horas e 19 minutos).

As capitais onde as pessoas tiveram de trabalhar menos, na comparação com as demais cidades, foram: Aracaju (73 horas e 30 minutos), Salvador (77 horas e 00 minutos) e João Pessoa (82 horas e 30 minutos).











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO