18.10.2019 | 18h30


VEJA FOTOS

Bombeiros morrem durante incêndio na whiskeria

Corporação foi acionada por volta de 11h25 e segue atuando no local.



Três bombeiros morreram durante um incêndio que atingiu Whiskeria Quatro por Quatro, na Rua Buenos Aires 44, no Centro do Rio, nesta sexta-feira. A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros. Eles chegaram a ser socorridos para o Hospital Municipal Souza Aguiar e para o hospital da corporação, mas não resistiram. Inicialmente, a Defesa Civil informou que quatro militares não resistiram aos ferimentos. No entanto, técnicos do órgão corrigiram a informação e a atualizaram para três militares mortos e um gravemente ferido.

Os familiares das vítimas já começaram a chegar no hospital. Segundo bombeiros, que não quiseram se identificar, o que aconteceu foi uma fatalidade. "Todos eram bombeiros muito experientes, muito técnicos, tinham muito conhecimento sobre combate a incêndio. Foi uma fatalidade que aconteceu, o teto que desabou e matou os quatro. Eram agentes muito experientes", disse um agente.

Luiz Tinoco, tio do militar Klerton, foi para o Hospital Souza Aguiar, mas o sobrinho está no Hospital dos Bombeiros. Na rede municipal, ele foi informado que o sobrinho não resistiu, mas ainda segue com esperança. "Ficamos surpresos com a notícia e assim que soubemos corremos pra cá (Souza Aguiar). Meu sobrinho era um bombeiro experiente, sabia trabalhar bem", disse emocionado.

O administrador Marcio Bonan, que trabalha perto da Whiskeria, contou que o foco do incêndio parecia ser pequeno no começo e que a brigada de incêndio da Transpetro alertou os funcionários. "Cheguei a ver cerca de 10 pessoas saindo pelos fundos da Quatro por Quatro. Elas não estavam tossindo e não pareciam que tinham inalado fumaça. As meninas pareciam desorientadas e estavam muito abaladas. Algumas chorando".

Ainda segundo Marcio, o incêndio tomou uma proporção maior após a saída dos funcionários. "No inicio, parecia algo pequeno. Mas cresceu de repente. Eu acho que isso aconteceu porque tem muito material inflamável lá dentro. Tanto que os bombeiros estão combatendo o incêndio até agora".

Já Vanessa Ferraz chegou ao local desesperada, nervosa e chorando muito. Ela é irmã do militar Rodolfo Ferraz, do quartel Central, e viu a notícia das mortes dos bombeiros pela internet. Desesperada, ela foi saber se o irmão era uma das vítimas, mas encontrou o irmão em segurança. E deram um rápido abraço emocionado. "Na notícia não dizia o nome dos bombeiros. Eu estava numa apresentação da escola da minha filha e vim correndo. Mas, graças a Deus, está tudo bem com meu irmão".

Em nota, o Corpo de Bombeiros informou que a corporação vai abrir uma sindicância para apurar as causas do ocorrido. Equipes de assistentes sociais já estão em contato com os familiares das vítimas. "O CBMERJ está consternado com a notícia e se solidariza com parentes, amigos e colegas de farda", diz a nota.

Em nota, o governador Wilson Witzel lamentou as mortes e decretou luto de três dias. "Quero manifestar meu pesar. Foram heróis que perderam suas vidas cumprindo o seu dever. Ordenei rigorosa apuração de todos os fatos que ocorreram durante o combate ao incêndio e que resultaram nesta tragédia. Presto solidariedade às famílias das vítimas. Que Deus os receba e abençoe", disse o governador".

Galeria de Fotos:
Crédito:
Crédito:
Crédito:
Crédito:
Crédito:










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO