27.01.2020 | 14h13


VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Bailarina é encontrada morta com sinais de violência sexual perto de cachoeira

Corpo de jovem de 25 anos foi encontrado, no domingo (26), na área rural de Mandaguari. A Polícia Civil investiga o caso.



O corpo de uma bailarina foi encontrado no domingo (25) na área rural de Mandaguari, no norte do Paraná, com sinais de violência sexual, de acordo com a Polícia Civil.

Maria Glória Poltronieri Borges tinha 25 anos. Além de bailarina, ela era estudante universitária.

O corpo da jovem foi encontrado no começo da noite de domingo perto de uma cachoeira e levado ao Instituto-Médico Legal (IML) de Maringá, também no norte do estado.

Segundo o IML, Maria Glória foi morta por asfixia. A Polícia Civil de Maringá investiga o caso.

Família encontrou o corpo

 

Ao G1, o delegado Zoroastro Neri do Prado contou que, no sábado (25), a mãe de Maria Glória a levou até uma chácara que fica perto da cachoeira. A jovem ficou sozinha no local, conforme o delegado.

 

A mãe acabou perdendo o contato com ela e voltou com a família no domingo para procurá-la. Ainda de acordo com o delegado, a irmã encontrou o corpo da bailarina em uma trilha que fica a cerca de 30 metros da cachoeira.

O delegado afirmou que está ouvindo pessoas e que, até o momento, não se sabe quem é o autor do crime.

"Não podemos descartar nenhuma possibilidade. Assim que possível vamos ouvir os familiares e também pessoas que participaram de um treinamento da Defesa Civil que ocorreu no local no sábado", destacou o delegado.

O velório de Maria Glória ocorre nesta segunda-feira (27), em Maringá. Ela vivia na cidade junto com a família.

Tristeza no velório

 

Durante o velório de Maria Glória, amigos lamentaram a morte da bailarina que era destaque no cenário artístico maringaense.

"Era uma pessoa extremamente dedicada à dança, às artes cênicas, à vida. Estava sempre cercada de amigos e da natureza. Não conseguimos dimensionar a crueldade deste mundo, como isso pode existir?", questionou um amigo.

"É uma dor que não tem explicação. Uma família unida, de mulheres tão fortes. Era uma inspiração de luta pela arte e pela cultura", lamentou outra amiga da bailarina.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO