22.02.2020 | 13h25


NACIONAL / LÉO VERAS

10 são presos em operação acusados de matar jornalista

Segundo a polícia do Paraguai, 6 são paraguaios, 3 brasileiros e um boliviano



O Ministério Público do Paraguai realizou neste sábado (22) operações de busca e apreensão para encontrar o responsável pela morte do jornalista brasileiro Léo Veras, que foi executado por pistoleiros no último dia 12, na cidade de Pedro Juan Caballero, na divisa com o Brasil. A polícia prendeu 10 pessoas.

Segundo a polícia do Paraguai, dos 10 presos, 6 são paraguaios, 3 brasileiros e um boliviano. São eles:

Arnaldo Colmán, paraguaio;

Anderson Rios Vilhalva, paraguaio;

Paulo Cespedes Oliveira, paraguaio;

Oscar Duarte, paraguaio;

Marcos Aurelio Vernequez Santacruz, paraguaio;

Cynthia Raquel Pereira de Leite, paraguaia;

Luis Fernando Leite Nunez, brasileiro;

Sanção de Souza, brasileiro;

Leonardo de Souza Concepción, brasileiro;

Juan Vicente Jaime Camaro, boliviano.

Foram encontrados com os suspeitos dinheiro, telefones celulares e câmeras fotográficas. O G1 ainda não fez contato com a defesa dos detidos.

Os policiais apreenderam 4 pistolas calibre 9 mm, 2 revólveres, 1 espingarda e munições de diferentes calibres. O MP afirma que os armamentos vão passar por perícia, para ver se foram utilizados no assassinato do jornalista brasileiro.

Um veículo branco também foi apreendido por ter características semelhantes ao do que foi usado no dia do crime. Além dele, outros 4 carros foram confiscados pela investigação conjunta da polícia e Ministério Público.

A operação ocorreu em 19 endereços de Pedro Juan Caballero. Os investigadores mantiveram contato com as autoridades brasileiras, mas as atividades ocorreram apenas em território paraguaio.

O promotor Marcelo Pecci, da Unidade Contra o Crime Organizado do Paraguai, disse à agência estatal de notícias "IP" que a operação terminou com "resultado parcial, mas satisfatório". Segundo ele, os materiais apreendidos poderão ajudar a solucionar o caso.

A "Operação Alba" envolveu 10 promotores e 100 policiais, como parte de "um trabalho do Estado que responde ao crime organizado".

Executado com 12 tiros

Lourenço Veras, ou Léo Veras, era bastante conhecido em Mato Grosso do Sul por seu trabalho. Ele era o dono de um site policial que produzia notícias da região da fronteira em português e espanhol. Frequentemente ele noticiava situações relacionadas ao tráfico de drogas.

De acordo com a Polícia Nacional do Paraguai, Léo foi atingido por cerca de 12 tiros de pistola 9 milímetros. Um dos disparos acertou a cabeça dele no momento em que ele tentou correr dos assassinos. O jornalista chegou a ser socorrido e encaminhado para um hospital particular da cidade paraguaia, mas não resistiu.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO