25.10.2013 | 09h27


IMPUNIDADE MÁXIMA

“Arcanjo será solto em 3 meses”, prevê advogado de acusação

Preso há 10 anos, o ex-bicheiro tem condições de gozar do regime aberto ou semi-aberto.


DA REDAÇÃO

Advogado contratado pela mãe do jornalista assassinado Domingos Sávio Brandão – dona Josephina Paes de Barros Lima, o promotor Clóvis Sahione afirmou nesta sexta-feira (25) ao RepórterMT que acredita na libertação de João Arcanjo Ribeiro em até três meses.

Condenado a 37 anos de prisão em 2003 por formação de quadrilha, crime contra o sistema financeiro e lavagem de dinheiro, na noite desta quinta-feira (24), o ex-bicheiro foi condenado a mais 19 anos de prisão em regime fechado pela morte do empresário que respondia pelo Jornal Folha do Estado.

No entanto, de acordo com Clóvis, a pena máxima no Brasil é de 30 anos e Arcanjo precisaria cumprir apenas um sexto da sentença em regime fechado. Preso há 10 anos, ele teria condições de gozar do regime aberto ou semi-aberto.

“Após um sexto de pena cumprida, ele já pode pedir a progressão de pena. Ele vai sair solto agora. Sabemos que ele responde a vários processo, mas nenhum foi transitado em julgado. Sou advogado de acusação do Arcanjo, já examinei tudo e ele não tem processos finalizados e por isso é tido como réu primário”.

“Tem muita expectativa de ele ser condenado, mas o advogado dele vai recorrer e depende da decisão dos tribunais. Um juiz da vara de execuções penais pode analisar o processo, ouvir o Ministério Público, analisar se está tudo correto e libertá-lo. Eu, particularmente, acredito que ele será solto em três meses. É a lei”.

André Castrillo também é advogado assistente da mãe de Sávio Brandão. Segundo ele, a votação do júri popular foi apertada: 4 a 3, e a decisão cabe recurso em instâncias superiores.

A família, no entanto, se sentiu aliviada com a sentença. “A dona Josefina e irmã de Sávio Brandão falaram que sairam satisfeitas do tribunal porque houve uma condenação. Realmente encontraram quem matou o pai, o filho o irmão e o empresário Sávio Brandão”, disse o advogado.

Sobre a soltura de Arcanjo, Castrillo reforçou que o réu pode ser beneficiado pela progressão de pena, principalmente se ele trabalhou na cadeira, colaborou e tem um bom comportamento.










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER