29.10.2013 | 07h42


CRIME CASA DA SUSPENSÃO

Após 22 anos, Lucena vai a juri popular por matar pai e filho em Cuiabá

Dario Luiz Scherner, e seu filho, Pedro César Scherner foram mortos após uma discussão em uma oficina mecânica e suspeito ficou foragido por 17 anos



Após 22 anos do assassinato do professor da Universidade Federal de Mato Grosso, Dario Luiz Scherner,46, e de seu filho, Pedro César Scherner, 17 anos, o acusado Francisco de Assis Vieira Lucena será submetido à júri popular nesta quarta-feira (30), a partir das 8h, no Fórum da Capital.

O assassinato, conhecido como o “Crime da Casa de Suspensão’, mobilizou a imprensa nacional quando mostrou a história da família, que teve dois de seus membros mortos por motivo torpe e sem nenhuma chance de defesa.

Pai e filho foram mortos a tiros após uma discussão motivada pelo preço do conserto de um carro. A prisão preventiva do acusado foi decretada em 21 do mesmo ano, quatro dias após o crime. No entanto, Lucena já havia foragido e só foi preso 17 anos depois, em outubro de 2008 na cidade de Osasco (SP).

A oficina em que Dario e seu filho foram executados chamava-se "Casa de Suspensão", e era localizada no final da Avenida da Prainha com a Avenida XV de Novembro, no bairro do Porto. O local era especializado em alinhamento e balanceamento de carros.

Em um vídeo divulgado na internet pela família Scherer, foi contada a trajetória da família, desde o crime até a espera pelo julgamento, incluindo depoimentos, fotografias e reportagens sobre o caso. Veja o vídeo AQUI.

“Nossa família espera por esse dia há 22 anos. No dia 30/10/2013, o homem que tirou parte de nossa família, ceifou sonhos, amor e que tirou nosso chão será julgado. Não se trata de um simples julgamento, mas sim, de um novo começo’’, afirmou o filho Dário César Scherer.

“Até hoje não me recuperei. Meu coração ainda está sangrando e nunca mais tive alegria nenhuma. Dário formou uma família linda aqui e ele era um homem querido, um homem bom e que não fazia mal para ninguém’’, desabafou no vídeo a mãe de Dário Luiz Scherer, Eti Scherer.










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER